23/10/18
 
 
Procuradora recomenda ao Supremo que senador Aécio Neves seja julgado

Procuradora recomenda ao Supremo que senador Aécio Neves seja julgado

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil António Rodrigues 16/04/2018 20:55

O Supremo Tribunal Federal brasileiro analisa amanhã o pedido de abertura de uma ação penal contra o antigo candidato à presidência do Brasil

O Supremo Tribunal Federal do Brasil analisa hoje o pedido de abertura de uma ação penal contra o senador Aécio Neves, candidato derrotado por Dilma Rousseff nas últimas presidenciais brasileiras. O senador e mais três pessoas foram denunciadas pelo empresário Joesley Batista na sua "delação premiada".

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, voltou a recomendar hoje que Aécio Neves seja mesmo julgado por corrupção passiva, bem como a irmã Andrea Neves, o primo Frederico Pacheco e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perella.

De acordo com a denúncia, apresentada há dez meses, Aécio Neves solicitou a Joesley Batista, numa conversa que foi gravada pela Polícia Federal, um suborno de dois milhões de reais (473 mil euros) para agir politicamente a favor do empresário, multimilionário sócio de uma das maiores empresas de agropecuária do mundo, a JBS.

O então procurador Rodrigo Janot acusou o antigo governador de Minas Gerais e antigo presidente da Câmara dos Deputados do Brasil de corrupção passiva e tentativa de obstrução da justiça.

"Tal conduta caracteriza o denominado ato de ofício em potencial, desde que presentes as demais elementares do tipo penal do crime de corrupção. Essas conclusões fáticas bastam para enquadrar a conduta de Aécio Neves e dos demais acusados no crime de corrupção passiva", escreve a procuradora.

Aécio Neves já foi afastado do Senado do Brasil por duas vezes ao longo deste processo, em maio e setembro do ano passado, tendo voltado ao exercício do mandato para que foi eleito em outubro.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×