15/11/18
 
 
Mau tempo. Tempestade Félix já deixou Portugal

Mau tempo. Tempestade Félix já deixou Portugal

DR Ana Petronilho 12/03/2018 08:13

Durante a manhã de hoje ainda há dez distritos sob aviso laranja do IPMA, estando prevista a queda de chuva. Sete ilhas dos Açores vão ser atingidas amanhã por vento forte 

A tempestade Félix deixou ontem Portugal mas, de acordo com o site do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), durante a manhã de hoje ainda há dez distritos sinalizados com avisos laranja e amarelo, devido à forte agitação marítima. 

Ontem ao final do dia, o temporal estava a entrar na zona fronteiriça entre Espanha e França, no golfo da Biscaia, deixando um rasto de inundações pelo país, sobretudo na zona da bacia do Tejo. Junto à costa também se fez sentir vento e ondulação fortes que levaram ao encerramento de 19 barras marítimas. No Algarve, o levantamento dos prejuízos nas infraestruturas e explorações agrícolas chegou aos 3,6 milhões de euros, disse o ministro da Agricultura e Florestas, Luís Capoulas Santos.

Durante a manhã e início da tarde de hoje ainda estão sob aviso laranja e amarelo do IPMA os distritos de Aveiro, Beja, Braga, Coimbra, Faro, Leiria, Lisboa, Porto, Setúbal e Viana do Castelo. Só a partir da tarde o mau tempo vai amenizar-se. 

No geral, para hoje está previsto céu muito nublado, sobretudo a partir do final da manhã, havendo queda de chuva forte nas regiões do norte e centro do país. Nas terras altas deverá cair neve, nas regiões acima dos mil ou 1200 metros de altitude. 

Para as regiões do sul, da Grande Lisboa e do Porto, a chuva será fraca durante a manhã e passará a moderada a partir da tarde. 

Também o vento vai perder velocidade a partir da tarde, passando de rajadas de 75 quilómetros por hora para os 30 quilómetros. As ondas vão diminuir gradualmente dos 6,5 metros para os 2,5 ou 3,5 metros. 

A partir de amanhã, todos os distritos passarão a estar sem alerta. 

No entanto, para os Açores, o mau tempo vai voltar. O serviço regional de Proteção Civil e Bombeiros lançou ontem um alerta de mau tempo para os próximos dias, estando prevista uma depressão que vai provocar um aumento da intensidade do vento em sete ilhas, de acordo com a Lusa. 

Em causa estão as ilhas Terceira, Graciosa, São Jorge, Pico e Faial (do grupo Central). A que se somam as ilhas do grupo Ocidental: Flores e Corvo. As sete ilhas estão sob alerta para ventos fortes, com rajadas acima de 100 quilómetros por hora, que se farão sentir entre a manhã de amanhã e quarta-feira.

As autoridades já recomendaram medidas preventivas como consolidar telhados, portas e janelas, além do corte de árvores em risco de queda. 

Cargueiro encalhado A melhoria do tempo e das condições do mar vai também permitir às autoridades que arranquem com as operações para resgatar o cargueiro espanhol que está encalhado perto do Bugio desde a madrugada de terça-feira.

De acordo com o capitão do Porto de Lisboa, Coelho Gil, o reboque do cargueiro não foi possível durante estes dias devido às condições meteorológicas “bastante graves” em termos “de vento e ondulação”. 

Durante o fim de semana, todo o litoral do país esteve em alerta vermelho, com vento e chuva fortes e ondas que atingiram os 15 metros. 

Na zona de Santarém foi ativado o Plano Especial de Emergência para Cheias na Bacia do Tejo, depois da subida das águas nos caudais do rio, com o trânsito a ficar suspenso na centenária Ponte Rainha D. Amélia, em Muge. 

Em todo o país, entre a tarde de sexta-feira e a tarde de ontem foram registadas, pela Proteção Civil, 1538 ocorrências. Lisboa foi o distrito onde houve mais pedidos de socorro. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×