17/11/18
 
 
Belém. Jerónimo critica falta de resposta no SNS

Belém. Jerónimo critica falta de resposta no SNS

João Girão Luís Claro 16/02/2018 09:48

Secretário-geral do PCP, após encontro com Marcelo, diz que este governo “não fez pior” do que Passos Coelho, mas “está longe de encontrar a resposta cabal para que a saúde seja um direito”

Jerónimo de Sousa saiu do encontro com o Presidente da República, em Belém, com críticas ao governo por causa do Serviço Nacional de Saúde (SNS). O secretário-geral concede que este governo “não fez pior” do que o anterior, liderado por Passos Coelho, mas “está longe de encontrar a resposta cabal para que a saúde seja, de facto, um direito dos portugueses”.

O Bloco de Esquerda, pela voz de Catarina Martins, já tinha criticado, no debate quinzenal,  o ministro da Saúde. À saída da Presidência, Jerónimo de Sousa defendeu que o governo “está longe de encontrar uma resposta cabal que permita clarificar a importância do SNS para a vida dos portugueses”. Os comunistas transmitiram ao Presidente da República a sua “preocupação” com os serviços públicos, que “precisam de resposta urgente e não tem sido encontrada pelo governo”. Em relação ao próximo Orçamento do Estado, o último da geringonça, Jerónimo garantiu que os comunistas vão manter “o compromisso do exame comum” e que o PCP estará sempre do lado dos trabalhadores. 

Marcelo agradece a passos

Na hora da despedida, Marcelo Rebelo de Sousa agradeceu a Pedro Passos Coelho ter governado “o país num período muito crítico e muito difícil”. O Presidente da República considerou que “as pessoas podem concordar ou discordar, mas ninguém negará que foi a crise mais difícil que o país viveu desde o início da democracia e a revolução”.

O chefe de Estado, no final de uma visita à Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro – falou ainda do futuro do PSD e desejou a Rui Rio “todas as felicidades porque, se correr bem ao novo líder, isso significa que corre bem ao seu partido e corre bem à sua área política, e como eu defendo que é bom para Portugal e para a democracia haver uma área de governo forte e uma área de oposição forte, é bom que corra bem ao novo líder do PSD porque isso é positivo para toda a democracia portuguesa”. Marcelo garantiu que estará “atento” ao congresso do PSD, que vai acontecer neste fim de semana, em Lisboa, porque “o Presidente da República tem que estar atento a tudo”. 

Marcelo vai receber o novo líder do PSD na segunda-feira, um dia após o congresso. O chefe de Estado recebe hoje, a partir das 17 horas, o Bloco de Esquerda e o Partido Socialista “no quadro dos contactos regulares com os partidos políticos com representação parlamentar”. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×