24/9/18
 
 
O que vai acontecer quando a Terra parar de girar?

O que vai acontecer quando a Terra parar de girar?

Shutterstock Joana Marques Alves 29/01/2018 12:35

É muito pouco provável que isto aconteça num futuro próximo, mas mais vale saber o que aí vem

Já estamos todos habituados à ideia de que, mesmo sem sentir nada, a Terra está sempre a mexer. Mas o que aconteceria se a rotação do nosso planeta parasse de repente?

A verdade é que a paragem em si não seria fatal para a espécie humana, mas tudo o resto que aconteceria logo a seguir seria. A Terra parava, mas tudo o resto que a compõe continuaria a mexer à mesma velocidade a que o planeta girava – no equador, a velocidade é de 1677 km/hora, lê-se no site da ESRI, empresa norte-americana especializada em informações geográficas. Os ventos seriam quatro vezes mais fortes do que o recorde de velocidade alguma vez atingido (mais de 400 km/hora) e a probabilidade de ocorrer um tsunami era enorme.

As populações que vivem perto do equador seriam as mais fustigadas, mas as que residem perto dos pólos também não teriam melhor sorte: devido à sua rotação, o centro da Terra ‘incha’ e os pólos ficam cerca de 21 quilómetros mais perto desta zona do que o equador. Sem a rotação do planeta, os oceanos iriam mover-se para os topos da Terra, onde a gravidade é mais forte, o que iria provocar vários sismos muito fortes.

Para além disso, o território iria sofrer muitas mudanças: segundo um artigo publicado no site da ESRI, grande parte da Europa iria ficar submersa, bem como a Gronelândia, o Canadá e zonas dos Estados Unidos da América, como Chicago, Boston e Seattle. No sul, partes da Argentina, Chile e Nova Zelândia também iriam desaparecer.

E mesmo que conseguisse sobreviver a ventos e tsunamis fortíssimos, ainda teria de lidar com outro problema: o campo magnético iria desaparecer. Sem ele, é pouco provável que qualquer espécie consiga sobreviver à radiação.

Estamos muito longe de enfrentar um problema deste, mas a verdade é que a Terra já está a desacelerar. Mas não se preocupe - De acordo com várias publicações científicas, são apenas milisegundos.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×