21/11/18
 
 
Madonna. A vida portuguesa

Madonna. A vida portuguesa

Davide Pinheiro 05/01/2018 22:00

O grande mistério continua por resolver. Por que motivo veio Madonna para Lisboa? Um dia saber-se-á. Certo é que a mudança é um facto consumado e não é segredo para ninguém. O Instagram tem servido de diário de bordo das esquinas, vielas, hotéis, palácios, casas de fado, estádios, centros de estágio e praias por onde Madonna tem passeado com os filhos, sem sinal de perturbações. Se Lisboa já era a capital da moda, passou também a ser a capital de Madonna. E uma das metrópoles do Instagram onde, através de fotos, vídeos e stories, vai documentando episódios da vida portuguesa e dos amigos em Portugal. Dino D’Santiago, Celeste Rodrigues, Richie Campbell e Branko são os anfitriões da cidade onde encontrar casa é difícil. Até para uma diva

Celeste Rodrigues

Madonna, a Rainha da Pop, e Celeste Rodrigues, fadista e irmã da Voz das vozes Amália Rodrigues, estiveram juntas na passagem de ano em Nova Iorque para onde Dino D’Santiago não pôde viajar por ter um concerto. “A lendária Celeste Rodrigues”, escreveu Madonna no Instagram. Em vídeo, as duas cantam “Can’t Help Falling In Love”, de Elvis Presley, sentadas lado a lado em grande cumplicidade. E a legenda encontrada por Madonna dá-lhe força. “Elvis segue-me para todo o lado. Foi espantoso sentar-me ao lado da lenda viva Celeste Rodrigues. Uma das minhas canções favoritas”. Foi Dino D’Santiago a apresentar Madonna à fadista de 94 anos, ainda no ativo. 

Richie Campbell

Numa das saídas para Alfama cortejadas por Dino, Madonna escutou o cabo-verdiano cantar “Eva”, uma canção sua, com Richie Campbell. “Obrigado ao Dino D’Santiago por juntar todos estes talentos. Foi uma noite de magia”, reagiu no Instagram. Excertos captados em vídeo, tal como outros dois na mesma noite com Ricardo Toscano ao saxofone e o brasileiro Tuniko Goulart à guitarra a interpretarem “Eu Sei Que Vou Te Amar”, de Vinicius de Moraes e Tom Jobim;  e um exercício solo do guitarrista guineense Kimi Djabaté. Madonna distribuiu elogios a todos os músicos que provavelmente nunca tinham conhecido uma audiência tão vasta para um momento tão exclusivo. 

Dino D’Santiago

Claudino Pereira, natural da Ilha de Santiago em Cabo Verde, conheceu Madonna “através da melhor amiga dela, uma senhora que é a Vitória, colombiana”, que o viu a “interpretar Cesária Évora, num concerto de uma amiga brasileira que é a Ive, que agora está a viver em Lisboa”, explicou ao site Rimas & Batidas. A partir desse episódio, foi nomeado anfitrião oficial. Foi Dino a apresentar Celeste Rodrigues, irmã de Amália Rodrigues, a levá-la às casas de fado de Alfama, como a Casa de Linhares onde escutou a voz de Vânia Duarte (e cantou “Like a Virgin”, e dar-lhe também a conhecer não só a tradição mas a contemporaneidade da afro-lisboa de Branko dos Buraka Som Sistema.

Branko

O patrão da Enchufada e cérebro dos Buraka Som Sistema organizou uma festa para Madonna ver no B.Leza, casa da futura residência da editora a começar em Fevereiro. “O que se tentou fazer foi um bocadinho recriar de alguma forma a música, o que é que acontece e porque é que Lisboa soa diferente do resto do mundo todo, até em termos de música eletrónica. Foi um bocadinho dar essa coordenada geográfica musical e acrescentá-la ao dicionário da Madonna”, explicou o produtor ao Rimas & Batidas. 

À Entertainment Weekly, Madonna assumiu estar“a viajar pelo mundo e a ouvir muita música diferente”. Será a afro-Lisboa matéria-prima para um próximo álbum?

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×