20/11/18
 
 
Pedro Dias só irá falar após as alegações finais

Pedro Dias só irá falar após as alegações finais

Jornal i 05/01/2018 12:15

Declarações de Mónica Quintela à porta do Tribunal da Guarda

A advogada de Pedro Dias, o homem acusado de três crimes de homicídio qualificado sob a forma consumada e outros três sob a forma tentada, afirmou esta sexta-feira que o seu cliente só irá falar “depois das alegações finais”.

Em declarações aos jornalistas à porta do Tribunal da Guarda, Mónica Quintela fez questão de realçar a importância desse momento, já que será a altura em que “Pedro Dias irá contar o que se passou”.

A audiência que hoje se realiza deveria ter ocorrido a 13 de dezembro, mas o juiz decidiu esperar pelas conclusões das pericias relacionadas com o nível de incapacidade a que ficaram sujeitos Lídia da Conceição, a mulher sequestradas por Pedro Dias numa cada em Arouca, e António Ferreira, o militar da GNR que sobreviveu ao ataque do arguido.

Mónica Quintela alegou esta sexta-feira que “apesar de faltarem ainda alguns relatórios médicos, concluiu-se que o AVC de que Lídia Maria foi vítima não tem conexão com os factos que tiveram lugar em Moldes. Esta perícia foi muito importante para a defesa do arguido”.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×