25/8/19
 
 
Quim. Um caso único de longevidade

Quim. Um caso único de longevidade

António Pedro Santos Laura Ramires 23/10/2017 15:25

Com a subida do Desportivo das Aves ao escalão principal do futebol português, o guarda-redes torna-se o mais velho de sempre a atuar na I divisão.

A menos de um mês de completar 42 anos, que irá celebrar no próximo 13 de novembro, Joaquim Manuel Sampaio Silva já é caso único no futebol português. Mesmo com os 41 que o cartão de cidadão ainda apresenta, Quim - nome que o guarda-redes português sempre gravou nas camisolas -, é oficialmente o jogador mais velho de sempre a integrar o escalão principal do futebol português. Com o regresso do Desportivo das Aves, clube que atualmente representa, à I divisão, após uma ausência de uma década, o guardião, que se sagrou duas vezes campeão de Portugal pelo Benfica, inscreveu o seu nome no topo de uma lista muito limitada. Além do importantíssimo pormenor, que na verdade é o que distingue o atleta natural de Vila Nova de Famalicão, de que continua a ser uma aposta indiscutível no onze do plantel da Vila das Aves - somando nesta altura quatro jogos na Liga Portuguesa e um na Taça de Portugal. 

Invulgar 

Há apenas oito jogadores (Quim incluído) com mais de 40 anos inscritos num clube da I divisão portuguesa desde a época de 1934/35 até aos dias de hoje.

É preciso recuar até à SuperLiga, como era então designado o campeonato nacional na época 2002/2003, para encontrar o primeiro. Com 42 anos, Goran Zivanovic, guarda-redes sérvio do Nacional à data, é o caso mais recente. Ainda assim, apesar de estar realmente inscrito no clube do Funchal, Zivanovic não alinhou em qualquer partida nas últimas quatro temporadas - o último encontro realizado pelo guardião, que morreu afogado no ano passado, aos 55 anos, num acidente num lago no seu país natal, foi aos 38 anos. Precisamente nas mesmas condições, mas em 1999/2000, surge Silvino. Com a mesma posição que os dois jogadores acima mencionados, Silvino é, nos últimos 17 anos, o terceiro jogador inscrito num clube aos 40 anos. Inscrito, pois bem. É que tal como o sérvio, o defensor das redes do Salgueiros (1991) não foi chamado a campo nas últimas duas épocas tendo, também ele, feito a sua despedida das balizas aos 38 anos. Continuando a procura, verifica-se que este cenário só muda recuando à década de 80 e início da de 90. Manuel Bento, um muro, como tinha fama pelas defesas que fazia na baliza dos encarnados, integrou a equipa principal das águias até aos 43 anos. Contudo, a última presença de Bento no Campeonato Nacional da I Divisão - como se chamava então a competição - foi em 1988/1989, tendo aí a atual idade de Quim. Mas seria, de resto, a sua única aparição. Aliás desde os 38 anos até aos 41 Bento só alinharia num encontro por época, a fazer lembrar, nos dias que correm, o guarda-redes do tetracampeão nacional Paulo Lopes. Adiante. O ‘fenómeno Quim’ só é comparável ao de três jogadores nas épocas de 1990/1991, 1988/89 e 1979/1980. Melo, Vítor Damas e José Torres são os nomes em questão, respetivamente. Vamos por ordem. Melo, aos 40 anos, defendeu em 27 jogos as redes do Estrela da Amadora enquanto Damas, com a mesma idade, foi 11 vezes opção para a baliza do Sporting. Já Torres tem a particularidade de, ao contrário de todos os exemplos dados até aqui, atuar como... avançado. Aos 40 anos, assinou um golo em 20 jogos a que foi chamado a campo no conjunto do Estoril Praia!

No registo dos veteranos ainda é possível descobrir um último nome. Em 1938/1939, quando a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) chamou a si a organização da prova a que passou a designar por Campeonato Nacional da Primeira Divisão, sendo disputada nos mesmos moldes que a Liga Experimental, o Académico FC contou com um avançado de 43 anos. Apesar da informação (muito) escassa sobre o jogador, de seu nome Oliveira, o último a entrar neste lote de ‘quarentões’ a disputar a I divisão, o atleta terá marcado 1 golo em 14 partidas.

Quim domina nas ligas da UEFA 

Com 41 anos, Quim é ainda, atualmente, o jogador mais velho se olharmos para a I divisão dos vários campeonatos pertencentes à UEFA. Seguem-se os médios francês Benjamin Nivet (Troyes, Ligue1, França) e o belga Timmy Simons (Club Brugge, Jupiler Pro League, Bélgica), ambos com 40 anos. Na liga inglesa, Julián Speroni, guarda-redes argentino do Crystal Palace, é, com 38 anos, o mais velho por aquelas bandas. Em Espanha, igual: Sergio Mora, médio imprescindível do Getafe, lidera o ranking dos jogadores mais velhos, também com 38 anos. Em Itália, Marco Storari, guarda-redes de banco do AC Milan, segue na frente com 40 anos e, na Bundesliga, o avançado peruano Claudio Pizarro, do FC Köln, apresenta 38. O mesmo se verifica nas ligas grega, russa ou turca. Na verdade, é preciso atravessar o oceano Atlântico para destronar Quim. Aos 43 anos, o defesa brasileiro Zé Roberto, do Palmeiras, é oficialmente o atleta mais velho. À 29.ª jornada do Brasileirão, já foi opção do técnico por 13 vezes. A par de Roberto, há ainda no campeonato brasileiro Magrão, guarda-redes do Sport, de 40 anos.

Recordistas em mundiais e europeus

A participação numa grande competição internacional é uma marca que Quim, certamente, já deixou de imaginar ser possível alcançar. Neste campo, é MacDonald Taylor, ex-futebolista das Ilhas Virgens Americanas, que detém a marca histórica do jogador mais velho a jogar uma partida de eliminatórias de campeonatos do mundo, após, em março de 2004, ter disputado a partida entre as Ilhas Virgens e São Cristóvão e Névis, com 46 anos e 180 dias de idade. Porém, e eliminatórias à parte, é o guarda-redes italiano Dino Zoff o detentor de um recorde que já conta com 35 anos, quando, em 1982, aos 40 anos e 133 dias, se tornou o jogador mais velho de sempre a conquistar um campeonato do mundo. Zoff, e a sua seleção, sagraram-se campeões em 1982, com um triunfo diante da Alemanha por 3-1, na competição disputada em Madrid, Espanha. No que a campeonatos da Europa diz respeito, o recorde foi registado no último Europeu, em França. Com nacionalidade húngara, o guarda-redes Gábor Király - famoso pelas suas calças de ‘pijama’, por aparecer sempre em calças de fato de treino - bateu a anterior marca pertencente ao alemão Lothar Matthäus - que no ano 2000 com 39 anos, 2 meses e 30 dias, ocupou o topo desta lista depois de marcar presença num jogo frente a... Portugal. Entrou em campo na primeira jornada da fase de grupos da prova aos 40 anos, dois meses e 15 dias. Portugal venceu a partida por 3-0, com três golos do atual treinador do FC Porto, Sérgio Conceição.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×