17/11/18
 
 
Diretor do Festival de Cannes apresenta Lumière! em Lisboa

Diretor do Festival de Cannes apresenta Lumière! em Lisboa

Paulo Portugal 07/10/2017 19:52

«Uma viagem ao sonho» e «uma pequena obra-prima»: é assim que Thierry Frémaux descreve o filme que abriu a Festa do Cinema Francês

 

Thierry Frémaux, o diretor artístico do Festival de Cannes, esteve quinta-feira à noite no cinema S. Jorge para apresentar Lumière!, o filme escolhido para abrir a 18.ª Festa do Cinema Francês, que se desenrola até ao próximo dia 12 de novembro em diversas cidades portuguesas. «Esta é uma viagem ao sonho», disse Frémaux, esclarecendo que não era um filme dele, mas um filme Lumière - «por isso posso dizer que é uma pequena obra-prima», sublinhou. Na cerimónia estiveram Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura da Câmara de Lisboa, o embaixador de França em Portugal, Jean-Michel Casa, e o distribuidor do filme em Portugal, Pedro Borges, da Midas.

Composto por uma série de pequenos filmes restaurados dos irmãos franceses, Lumière é mesmo a luz sobre o cinema, ou a tal viagem que ilumina o sonho, o sonho das imagens em movimento, que passou a ser uma novidade para um mundo que apenas conhecia as imagens estáticas da fotografia. Com a invenção do cinematógrafo em 1895, a tal máquina capaz de dar movimento a 24 imagens por segundo, o sonho tornou possível ver a saída dos trabalhadores da fábrica Lumière, naquele que é o primeiro filme de cinema, ou um comboio a chegar à estação, algo que assustou os espectadores de então.

Em Lumière, Frémaux editou e comentou 108 dos 1422 filmes conhecidos dos Lumière, em menos de 90 minutos de puro espanto. Essas pequeníssimas curtas de 55 segundos, rodadas entre 1885 e 1900, já faziam antever grande parte da linguagem cinematográfica que viria a ser usada, bem como aperfeiçoada, várias décadas depois. É que com a invenção da técnica (o cinematógrafo, a primeira câmara de cinema), Auguste e Louis inventaram também uma nova arte, o cinema. É isso que nos mostra este pequeno tesouro.

Este tem sido um ano em grande para Thierry Frémaux, provavelmente o homem com mais contactos de estrelas de cinema na agenda telefónica. 2017 começou com o lançamento na primavera passada do seu livro Sélection Officielle, um diário de 600 páginas que acompanha desde a cerimónia de encerramento do festival de Cannes de 2015 até à cerimónia de abertura de 2016. O diretor de Cannes preparara ainda um outro festival, o Lumière, que decorrerá em Lyon, sua terra natal, entre 14 e 22 desde mês.

Com o projeto Lumière, Frémaux quis não só alargar o conhecimento da obra de Auguste e Louis Lumière, como afirmar o seu papel como «criadores», mais do que «inventores». Devem-se a eles conceitos essenciais da linguagem cinematográfica atual como o gag, o remake e até o travelling.   

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×