18/2/20
 
 
No Uruguai, os árbitros gritaram “BASTA!” e o futebol parou por completo

No Uruguai, os árbitros gritaram “BASTA!” e o futebol parou por completo

Shutterstock Afonso de Melo 25/09/2017 22:12

A agressão bárbara ao árbitro Frederico Arman durante um jogo de sub-19 fez com que a Associação de Árbitros Uruguaios tomasse uma posição de força extrema

A paciência esgotou-se para os árbitros uruguaios. E, assim sendo, não houve futebol este domingo naquele país da América do Sul.

O motivo explica-se: um árbitro foi vítima de agressões brutais no decorrer de um encontro do escalão de sub--19, imagine-se. E elas tiveram características macabras. Começaram numa das bancadas e perpetradas sobre o namorado da fiscal de linha que fazia parte da equipa que dirigia a partida entre o Rampla Juniors e o Danubio. Depois prolongaram-se, tendo como vítima o árbitro principal e espalhando-se pela maioria dos espetadores.

Perante os acontecimentos, a AUDAF (associação de árbitros uruguaios) decidiu que os seus membros não compareceriam em nenhum dos encontros que se disputaram durante este fim de semana. Reunida de emergência no passado sábado, durante a noite, provocou a suspensão dos jogos do Torneio Clausura, bem como de outros referentes a campeonatos de diversos escalões.

Para já, não está estabelecida a data em que os árbitros uruguaios voltarão a apitar. No pequeno país da América do Sul, o futebol parou!

Entretanto, a AUDAF fez publicar um comunicado no qual deixa bem claro tudo o que está a decorrer, dramaticamente, no futebol uruguaio.

O comunicado “Tendo em conta a agressão física sofrida por um dos nossos associados, Frederico Arman, no culminar de um encontro disputado no Estádio Olímpico entre o Rampla Juniors e o Danubio.

Considerando:

1) Que a a referida agressão se inclui num contexto de violência que se instalou das mais diversas formas em diversos cenários desportivos.

2) Que esta agremiação não pode nem deve tolerar o que aconteceu com o nosso associado.

Desta forma: entre os seus objetivos estatutários, esta agremiação tem a obrigação de velar pela integridade física de todos os seus associados.

A Associação Uruguaia de Árbitros de Futebol, reunida em Assembleia- -Geral, resolveu:

– Repudiar a agressão sofrida por Frederico Arman, solidarizando-se com o nosso associado;

– Repudiar as declarações públicas do presidente do clube Rampla Juniors pretendendo justificar a referida agressão e exigir uma imediata retratação pública no que respeita às mesmas.

– Não voltar a dirigir jogos do Rampla Juniors em todos os seus escalões.

– Exigir medidas de segurança no Estádio Olímpico de forma que episódios deste calibre não voltem a repetir-se, descartando todas as possibilidades de voltar a dirigir jogos nesse estádio até que as medidas de segurança estejam implementadas.

– Estabelecer como medida cautelar, de forma a evitar situações idênticas, implementar a paralisação automática de todas as atividades da agremiação.”

Desta forma, cinco partidas da jornada 6 do Torneio Clausura uruguaio foram adiadas.

Os árbitros tomaram uma posição de força e estão a ser apoiados pela comunicação social desportiva do país – uma barreira que se ergue contra a cada vez mais incompreensível invasão dos estádios por energúmenos que não vivem sem a violência.

 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×