23/9/20
 
 
Guiné Equatorial acusa Total de fraude

Guiné Equatorial acusa Total de fraude

Mag 29/08/2017 10:43

A Guiné Equatorial exige à Total o pagamento de 73 milhões de euros. O país alega “fraude” da petrolífera francesa na venda de combustível entre 2010 e 2012.

“Após investigações, descobrimos que existe uma situação suspeita e fraudulenta", revelou à agência AFP o ministro das Finanças, Miguel Engonga Obiang.

O governo da Guiné Equatorial exigiu que a Total apresente uma proposta para resolver a situação numa reunião que decorreu no dia 21 de agosto com responsáveis da empresa francesa naquele país africano.

A Guiné Equatorial, que tem perto de um milhão de habitantes, é presidida desde agost  de 1979 por Teodoro Obiang. O filho Teodorin, também vice-presidente do país, está a ser julgado em França, acusado de ter construído um património de forma fraudulenta.

A justiça francesa pede uma pena de três anos de prisão, 30 milhões de euros de multa e a confiscação dos bens em causa. Estes incluem um imóvel avaliado em mais de 100 milhões de euros.

O governo da Guiné Equatorial é acusado por várias organizações da sociedade civil de constantes violações dos direitos humanos e perseguição a políticos da oposição.

A Guiné Equatorial, cujo líder detém o recorde de longevidade no poder em África, faz parte, desde 2014, da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×