25/8/19
 
 
Vigilância. Estas apps podem estar a espiá-lo

Vigilância. Estas apps podem estar a espiá-lo

Marta F. Reis 08/07/2017 17:10

São usadas para ler sms, vigiar movimentos e algumas são promovidas como uma segurança para a família. Mas há outras vendidas de propósito para espiar funcionários e apanhar traições. Podem ser instaladas em minutos no telemóvel, sem que o dono dê por isso.

No ano passado, a Comissão Federal do Comércio dos EUA alertou para alguns sinais de que pode estar a ser espiado sem saber: se a bateria acaba depressa, o telefone custa a desligar e se alguém souber demasiado sobre si, recomenda reset e apps de “root checker”, que permitem ver se o software do aparelho foi desbloqueado, condição necessária para instalar algumas destas aplicações.

 

Flexyspy 

É apresentado pela empresa como o “software de monitoramento mais poderoso do mundo para computadores, telefones celulares e tablets”. Mais abaixo na página, falam de monitorizar “silenciosamente todas as comunicações, localizações e comportamento do usuário de um smartphone”, dando como sugestões a proteção das crianças ou a monitorização de funcionários. A partir de 68 dólares/mês, prometem acesso ao Facebook, Line, Viber, SMS e Whatsapp. No pacote extreme, “para os detetives mais exigentes”, há o bónus de gravação de todos os fluxos de áudio e “outras surpreendentes ferramentas de descoberta”. Custa 199 dólares para três meses. É legal? No seu telemóvel sim, responde a empresa. “Se vai instalar o FlexiSPY num telemóvel que não é seu, tem de ter a permissão expressa do dono do dispositivo”. Ainda assim, pode escolher ocultar o ícone depois da instalação, para a qual vai precisar de ter acesso físico ao dispositivo. 

 

Cree.py

O processo de instalação desta ferramenta não é linear – há um tutorial no YouTube apresentado por um homem com um tom monocórdico que faz jus ao nome da aplicação. Após a instalação, escolhe-se um “alvo” a seguir através das contas nas redes sociais, por exemplo Instagram, Twitter ou Flickr. O sistema faz uma avaliação dos posts, tweets e demais publicações e a partir daí e da geolocalização consegue recuperar todos os locais onde a pessoa em causa esteve, com dia e hora e ainda informação de contexto, por exemplo se havia uma hashtag associada à publicação. Ver o tutorial é assustador o suficiente.

 

Family Locator

Esta app é um pouco menos intrusiva, vai depender do quão voluntariamente adere.  O  Family Locator Life360 é promovido como o “localizador de família mais preciso e poderoso”. Funciona através de rastreamento por GPS e, depois de instalar a app (gratuita) tem de convidar as pessoas que quer seguir para um círculo. “São basicamente grupos para familiares, amigos, colegas do futebol e mais. O céu é o limite”, explica a empresa. “Basta abrir o mapa do Localizador de Família Life360 e ver onde os membros do seu círculo estão, 24 horas por dia, 7 dias por semana. “O localizador permite configurar aletas específicos para cada círculo, por exemplo para quando os membros se encontrem numa localização específica. Ao chegar a esse lugar, a app informa automaticamente os outros membros do grupo de que já chegou. Pode dar jeito se tiver um jantar combinado com amigos, mas também pode ser usado para não lhe dar margem de manobra. Depende da perspetiva e neste caso há sempre a hipótese de desligar a localização.

 

GPS Phone Tracker

O nome diz tudo e é mais um produto que entra na categoria das aplicações de “segurança familiar”. Os pais adoram o sistema de rastreamento GPS, diz a empresa, mas é também uma ferramenta útil para monitorizar a localização dos membros mais velhos da família, ajudando a mantê-los seguros. Funciona através de uma rede de 28 satélites e já foi instalado por mais de 10 milhões de pessoas. Há outras aplicações deste género. 

 

Mobistealth

Um software de monitorização desta empresa promete instalação em minutos, controlo das crianças 24 horas por dia e dá a garantia de que os miúdos não conseguem dar-lhe a volta. É pago, a partir de 0,50 dólares por dia. Permite vigiar telemóveis mas também a atividade nas redes sociais. Uma das sugestões é a monitorização do comportamento dos funcionários. “Não é novidade que os funcionários têm dificuldade em lidar com o caos das redes sociais no trabalho. Não só diminuem a sua atividade como contribuem para desperdício de tempo e de recursos do escritório. Os funcionários também precisam de perceber que as redes sociais representam uma ameaça real no que diz respeito à partilha/fuga de informação”, diz a empresa, acrescentando que “não há ninguém que queira monitorizar a atividade de alguém nas redes sociais sem ter razão para isso”. 

 

Couple Tracker

É a ferramenta perfeita para construir a confiança no casal e a monitorização mútua, diz a empresa. Esta app permite que ambos vejam as mensagens escritas um do outro e partilhem as localizações. Podem ainda ver registos de chamadas. Para instalar, basta cada um descarregar a app e inserirem o código um do outro, à partida com autorização. A ferramenta não permite apagar mensagens para o outro não ver nem esconder ou alterar nada, promete a empresa. Já aderiram dois milhões de casais, que trocaram 172 milhões de mensagens, 291 milhões de localizações e 185 milhões de registos de chamadas.  

 

Hubstaff

São muitas as aplicações para controlar funcionários. A Hubstaff é uma das mais cotadas nas listas online sobre plataformas de monitorização no trabalho. Permite controlar as páginas visitadas na internet e a duração de cada visita e a localização por GPS através do telemóvel da empresa. Além disso, promete uma contabilização ao segundo da atividade do funcionário, por exemplo registando os movimentos no rato ou no teclado do computador. São ainda feitas capturas de ecrã. Há uma versão gratuita da aplicação, com menos valências.  

 

TheTruthSpy

“Quer começar a espiar qualquer telefone nos próximos cinco minutos?”. Começa assim um dos separadores da página do software TheTruthSpy, que se autopromove como o número 1 neste segmento. Nas perguntas mais frequentes do site da empresa lê-se que não será bem assim. Precisa de ter o telemóvel na mão e é então que a instalação demora cinco minutos. A partir daí, pode passar a controlar o aparelho sem o dono dar por isso, até porque não ficam visíveis quaisquer ícones. “Não deve deixar ninguém em quem não confia aceder ao seu telefone”, diz pedagogicamente a empresa. Esta é mais uma das apps que seria detetada nas aplicações que verificam se o software foi desbloqueado.

 

mSpy

É das apps melhor classificadas neste segmento e promete, como as outras, ajudar os pais a manterem os seus filhos seguros e os seus funcionários produtivos. Como funciona? Instala o programa no dispositivo de outra pessoa e começa a segui-la. Na página desta empresa há uma ressalva:_“Ao instalar o mSpy, confirma sua intenção de usar este software legalmente, isto é, você instalou o mSpy no seu próprio dispositivo, no dispositivo do seu filho menor de idade ou o proprietário do dispositivo concordou em ser monitorado.” O software pode ser usado em telefones ou computadores, dando acesso a todos os ficheiros.  

 

iSpyoo 

“Uma das verdades desagradáveis de que a maioria das pessoas casadas é alegremente ignorante é a surpreendentemente elevada ocorrência de infidelidade e casos extraconjugais”, diz a empresa por detrás da app iSpyoo, que também se apresenta como número 1 nesta área. “Não há nenhuma razão para ficar com um trapaceiro”, continua a empresa, que acrescenta que a tecnologia tornou mais fácil “fazer batota”. A boa notícia, rematam, é que a tecnologia também pode ser usada para revelar a intimidade. A iSpyoo vai ajudar a reunir “provas incriminatórias”. No rodapé do site, o disclaimer é de deixar qualquer um confuso: afinal o iSpyoo é “projetado para monitorizar filhos, funcionários ou outras pessoas através de um smartphone ou dispositivo móvel que possui ou tem o consentimento apropriado para monitorizar”.     

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×