22/9/18
 
 
Harry Potter. O que ficou na memória dos millennials portugueses?

Harry Potter. O que ficou na memória dos millennials portugueses?

Ana B. Carvalho 29/06/2017 17:24

Em Portugal estima-se que  tenham sido vendidos pelo menos um milhão e 650 mil livros. Nas salas de cinema, a saga Harry Potter também foi um sucesso de bilheteira. Muitos dos millennials portugueses cresceram ao mesmo ritmo que Potter e os seus amigos. Mas o que retiveram da leitura e dos filmes?

Filipe Fernandes, Porto, 25 anos

Que idade tinhas quando leste o primeiro livro? Devia ter uns nove, dez anos.

Livro preferido: O Príncipe Misterioso

Personagens preferidas: Dumbledore e o próprio Potter

Vilão favorito: Peter Pettigrew/ Wormtail

Porque é que a saga marcou esta geração? Acho que a Saga Harry Potter foi marcante por várias razões. A primeira foi o mundo mágico que J. K. Rowling criou. Nem é preciso adiantar-me mais em relação a isso. A segunda foi o facto de Harry Potter e os seus amigos estarem em idades próximas da minha, a lidar com as mesmas situações e mudanças. Harry começa por ser um jovem calado e solitário e acaba num homem, cheio de amigos, responsabilidades e força de vontade. Pelo meio, apaixona-se, lida com mudança, com perda, aprende, perde um pouco da sua identidade, recupera-a novamente, tem êxitos, tem fracassos. Eu, e milhões de outros, vivemos o mesmo que Harry, num mundo que também consegue ser mágico, mas onde essa magia é constantemente esquecida. E a terceira razão é a escrita. Quando os livros do Harry saíram, estava na primária. Sabia ler, mas não era nenhum dotado. Era igual aos outros. Na escola, eram poemas de lengalenga e textos curtos a base da nossa aprendizagem. Os livros de J. K. Rowling deram-me boa escrita, um enorme universo e ajudaram-me a aprender e a gostar de ler. Ela nunca aparvalhou ou facilitou e essa característica é a grande razão por trás do sucesso. É que fazer uma criança de 10, 11, olhar para um livro de 500 páginas com pica é algo quase impossível de replicar e acho que isso era algo impossível com a usual escrita infantil!

Vanessa, Porto, 26 anos

Que idade tinhas quando leste o primeiro livro? Tinha 10 anos.

Livro preferido: Cálice de Fogo

Personagens preferidas: Fred e George Weasley 

Vilão favorito: Bellatrix Lestrange

Momento da saga mais marcante: a descoberta do verdadeiro passado de Snape

Tinhas alguma crença em criança em relação a este mundo? Esperava genuinamente que o Quidditch se tornasse um desporto a sério num futuro próximo. Sabia todas as regras, mais do que de qualquer desporto real, e tentava recriar o que podia com os objetos que tinha.

Porque é que a saga marcou esta geração? Eu cresci com o Harry Potter, tinha a mesma idade que ele à medida que ia lendo os livros. E à medida que ele ia crescendo e a complexidade dos livros também, eu estava a acompanhar esse desenvolvimento. Era quase como se estivesses a crescer em dois mundos em paralelo. Chegava a uma altura do dia em que eu sabia que ia pertencer a outro mundo, não era uma simples leitura. Acredito que é nesta altura que te moldas como pessoa e procuras exemplos com que te relacionas. Hoje em dia os interesses de um adolescente renovam de ano a ano por seres tão sujeito a personalidades comerciais. O Harry Potter conseguiu atravessar todas as fases de mudança de um adolescente e permanecer na vida dele. Nem um pai consegue fazer isso às vezes. Eu fiz amigos graças ao Harry Potter, amigos esses que continuam comigo mais de 10 anos depois, por muito diferentes que também possamos ser. E se há algo que Harry Potter ensina é a importância de uma boa amizade para a vida.

Tomás Pereira, Lisboa, 29 anos

Que idade tinhas quando leste o primeiro livro? Tinha 12 anos.

Livro preferido: Câmara dos Segredos, Prisioneiro de Azkaban, Cálice de Fogo

Personagens preferidas: Severus Snape, Luna Lovegood, Lee Jordan 

Vilão favorito: o devorador da morte chamado Barty Crouch Jr., que passou um ano disfarçado de Alastor Moody. Se lerem bem a história dele percebem o quão genial ele é. 

Momento da saga mais marcante: O ataque ao ministério na Ordem da Fénix, por toda a estupidez que o envolveu e pelo “fight Dumbledore vs. Voldemort” no fim.

Tinhas alguma crença em criança em relação a este mundo? Achava que se murmurasse coisas em latim falso durante ataques de adversários em jogos do Benfica não sofríamos golo. Na época em que fiz isso acabámos em 6.° lugar, com 44 golos sofridos (um recorde).

Porque é que a saga marcou esta geração?  Por ser uma história juvenil tão complexa a nível de enredo e de personagens.

O que aprendeste com esta história? Aprendi que os “Gryffindors” são parvos. É que à pala da sua parvoíce levaram a mortes desnecessárias (Cedric Diggory, Sirius Black, James e Lily Potter) e a missões suicidas.

Daniel, Vila Nova de Gaia, 25 anos

Que idade tinhas quando leste o primeiro livro? O meu primeiro livro foi-me oferecido no meu aniversário de dez anos e já o tinha lido 4 horas depois. 

Livro preferido: Pedra Filosofal e Cálice de Fogo

Personagens preferidas: Dumbledore,

Vilão favorito: o Snape (embora não seja vilão passámos a saga toda a odiá-lo).

Momento da saga mais marcante: Para mim, o momento mais marcante foi quando o Voldemort voltou a ter o seu corpo, no livro do Cálice de Fogo, talvez seja mesmo o meu livro favorito.

Tinhas alguma crença em criança em relação a este mundo? Crença penso que não. Sabia que era um mundo que não existia, mas com dez anos é normal sonhares .

Porque é que a saga marcou esta geração?  É assim, o porquê de ter marcado a nossa geração, não sei. Só posso falar por mim. No meu caso foi por não haver nada do mesmo género. Sempre gostei muito de ler e, na altura, já tinha lido uma boa quantidade de livros. Só que nenhum era sobre um mundo de fantasia e isso cativou-me. Fez-me querer ler mais sobre aquele mundo. Com o tempo vim a descobrir que é mesmo o género literário de que mais gosto.

Mafalda, Leicester, 25 anos

Que idade tinhas quando leste o primeiro livro? Tinha 9 anos quando li a Pedra Filosofal pela primeira vez, já traduzido em português.

Livro preferido: Ordem da Fénix

Personagens preferidas: A Hermione é, sem dúvida, a minha personagem favorita.

Vilão favorito: Posso incluir o Sirius Black nos vilões?

Momento da saga mais marcante: Para mim o momento da saga mais marcante é quando o Harry descobre que o Sirius Black é o seu padrinho.

Tinhas alguma crença em criança em relação a este mundo? Nunca tive crenças... Sempre distingui a realidade da ficção, mas por vezes ainda fecho os olhos e peço muito muito muito para que um desejo se concretize.

Porque é que a saga marcou esta geração?  Esta saga marcou-nos por todas as mensagens que a J. K. Rowling nos tentou passar com a sua escrita, principalmente através do Dumbledore. Quando tiver filhos, espero que a Pedra Filosofal seja o primeiro de muitos livros que irão ler!

Houve alguma frase que te marcasse? “Happiness can be found even in the darkest of times, if one only remembers to turn on the light.” Albus Dumbledore

Marta, Berlim, 22 anos

Que idade tinhas quando leste o primeiro livro? Não tenho a certeza... Uns sete ou oito anos.

Livro preferido: Pedra Filosofal, pela novidade

Personagens preferidas: Dumbledore

Vilão favorito: Snape 

Momento da saga mais marcante: morte do Dumbledore

Tinhas alguma crença em criança em relação a este mundo? Não, sempre achei que era só ficção.

Porque é que a saga marcou esta geração? Acho que toda as crianças da nossa geração se “apaixonaram” pela história do Harry por ser um “underdog” com uma vida miserável que de repente entrou num mundo de magia e se tornou um herói. É uma historia do triunfo do bem sobre o mal, da importância da amizade, da coragem, de nos mantermos fiéis aos nossos valores. E acho que é fascinante porque é uma história que cresceu connosco, acompanhámos a sua evolução. E à medida que fomos crescendo e relendo, fomo-nos apercebendo das diferentes camadas e metáforas da história.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×