26/4/17
 
 
Bem-vindo ao mundo das viagens baratas

Bem-vindo ao mundo das viagens baratas

Shutterstock Marta Cerqueira 17/02/2017 15:20

Moçambique a 140 euros, Vigo-Nova Iorque a 370 euros ou acrescentar paragens para tornar o voo mais barato. Vale tudo na hora de poupar e, na verdade, não é difícil encontrar viagens de avião baratas. Basta para isso estar disposto a ir a Espanha apanhar o voo ou esperar por um bug da companhia aérea que faça os preços descer vertiginosamente

Não foi fácil chegar à fala com António. Afinal, as praias de Moçambique falam mais alto que qualquer toque de telemóvel e as férias são para serem aproveitadas, principalmente quando conseguidas numa pechincha quase comparada a ganhar a lotaria.

Um dos seus companheiros de viagem inscreveu-se em sites de viagens para receber as newsletters com promoções do dia e, de repente, ao email chegou uma mensagem a promover uma ida e volta a Moçambique a 140 euros. Sem hesitar, reuniram um grupo de cinco amigos e aproveitaram a promoção, que na verdade mais se assemelha a um bug do sistema informático da companhia aérea Taag. Isto porque, com muita sorte, viajar até Moçambique nunca fica por menos de 800 euros e pode chegar facilmente aos 1500.

Apesar de todos invejarem a sorte de António, erros destes são comuns, seja por conversões monetárias mal feitas ou por falha humana de quem insere os valores das viagens nos sites. Em 2012, por exemplo, foram várias as companhias que venderam bilhetes de primeira classe dos Estados Unidos para Myanmar pelo equivalente a cento e poucos euros. Aparentemente, o valor da moeda mudou e os sistemas de reserva de viagens não fizeram a conversão do valor corretamente. Mas há mais. No ano passado, a United Airlines vendeu, por engano, bilhetes de primeira classe de Londres para os Estados Unidos pelo equivalente a 95 euros.

 

Os truques Para quem não quer esperar pelos erros cometidos pelas companhias aéreas, existem alternativas à mão de qualquer um. Mas, neste caso, o i foi saber junto de quem faz da venda de viagens profissão os métodos mais usados para conseguir preços mais baixos.

As agências de viagens contactadas pelo i começam por falar no sistema de bilhetes cruzados, que mais não é que o método de comprar as viagens de ida e volta separadamente, em vez de uma só viagem de ida e volta. Um exemplo prático: se uma viagem a Bruxelas de 1 a 4 de março custar 500 euros, há a possibilidade de comprar uma viagem de ida a dia 1 e regresso a dia 16, por exemplo, que pode ser ou não usado e, ao mesmo tempo, comprar outro bilhete com início de Bruxelas a dia 4 e regresso a 18 – este último, mais uma vez, pode ou não ser usado. Assim, vai na mesma dia 1 e regressa dia 4 e cada uma das viagens não ultrapassa os 200 euros – mais económico do que os 500 euros iniciais. Este é um truque muito usado, principalmente em viagens dentro da Europa.

Já em percursos mais longos e imaginando Lisboa como ponto de partida e Dubai como ponto final, fica quase sempre mais barato acrescentar uma terceira paragem. Assim, comprar uma viagem Lisboa-Dubai-Hong Kong ficará mais barato do que apenas Lisboa-Dubai e pode na mesma sair no Dubai, sem ter de apanhar o último voo até à China. Há só um fator a ter em conta: é obrigatório marcar presença no início do voo e, por isso, para ter regresso assegurado, a viagem de volta teria de ser Dubai-Lisboa.

Vigo mais barato

Já era do senso comum que algumas viagens marcadas a partir de Espanha ficavam mais baratas, mas nem sempre compensa ter de ir apanhar o voo a Madrid ou Barcelona. No entanto, para quem vive a norte e tem Porto e Vigo exatamente à mesma distância, a situação pode ser favorável. E foi mesmo.

Laura conseguiu uma viagem pela TAP de Vigo a Nova Iorque por 370 euros, com escala no Porto. Por descargo de consciência, foi ver em quanto ficava a mesma viagem, no mesmo dia, mas comprada com a partida do Porto ou de Lisboa, e percebeu que fez uma boa escolha: com saída de Portugal, o preço da viagem subia para quase o dobro. Além disso, como a viagem entre Vigo e o Porto é feita de autocarro e não de avião – o que obrigava a ter de estar presente no local de partida – bastou um telefonema para a TAP para que o bilhete fosse alterado e não fosse preciso ir a Vigo começar e terminar a viagem. Assim, por metade do preço original, conseguiu uma viagem direta entre os dois países.

Com casos como estes a multiplicarem--se, o PSD/Porto veio a público acusar o governo de desinvestimento na operação da TAP no Norte. Em resposta, o Ministério do Planeamento e Infraestruturas lembrou que “foi precisamente durante o governo liderado por esse partido que a TAP perdeu passageiros no Porto”. No entretanto, entre acusações e defesas, basta uma ou duas simulações para comprovar que continua a compensar uma viagem a Vigo para conseguir voos mais baratos.

 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×