25/6/19
 
 
Griezmann: "Ainda hoje não consigo ver a final do Europeu"

Griezmann: "Ainda hoje não consigo ver a final do Europeu"

Bruno Venâncio 15/02/2017 12:52

Avançado francês assume que a derrota frente a Portugal é um assunto tabu para si

A derrota na final do Europeu continua atravessada na garganta de Griezmann. Em entrevista ao site da FIFA, o avançado francês revelou que, mesmo sete meses depois, continua sem conseguir rever o encontro que terminou com a glória portuguesa em pleno solo gaulês, bem como o encontro decisivo da Liga dos Campeões, onde o Atlético de Madrid caiu perante o rival Real.

"Não vi mais esses dois jogos, é algo que tenho de confessar. Vi todos os jogos da Liga dos Campeões e do Euro 2016 novamente, mas parei nos das meias-finais (risos). Foram as primeiras finais que disputei e perder ambas não foi fácil. Nunca gostei de perder. Não consegui olhar para a outra equipa a levantar o troféu na Liga dos Campeões. No Euro 2016 foi diferente, vi a celebração dos portugueses porque disse a mim mesmo que da próxima seria a minha vez e não podia arranjar melhor motivação do que aquilo", assumiu Griezmann, revelando o desejo intenso de mudar a história em ocasiões futuras: "Claro que tenho grandes memórias da época passada, mas perder a final da Liga dos Campeões e do Europeu foram duas das maiores desilusões da minha carreira. É por isso que um dos meus objetivos a curto prazo é voltar à final e estou convencido de que quando isso acontecer eu estarei no lado dos vencedores."

O desaire caseiro no Europeu, de resto, não tira confiança aos franceses. Griezmann aposta mesmo num Mundial 2018 positivo para os Bleus, depois de duas participações sem razões para sorrir em 2010 e 2014. "Fomos um pouco infelizes tanto no Mundial 2014 como no Euro 2016. Fizemos um grande Mundial e fomos quase perfeitos no Europeu, mas Portugal defendeu muito bem na final e tirou o máximo proveito das oportunidades que teve. Ainda assim estou otimista e penso que temos uma equipa talentosa, um bom treinador e um grande ambiente no balneário. Começámos bem o trajeto para o Mundial 2018 e acredito que podemos olhar com bons olhos para o futuro", realçou o avançado, reservando também elogios para Diego Simeone, o seu treinador em Madrid: "Simeone mudou-me, trouxe tantas coisas ao meu jogo que é difícil até descrever. Digamos apenas que não seria reconhecido como um dos melhores do mundo se não fosse ele. Mais do que tudo ele ajudou-me a ser mais eficaz em frente à baliza, a converter as oportunidades que aparecem e, claro, a correr mais e trabalhar duro para a equipa. Não se consegue singrar no Atlético Madrid de outra forma... Disse-me muitas coisas importantes na final com o Real Madrid, porque senti-me o culpado da derrota por ter falhado o penálti."

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×