19/10/17
 
 
Soares: Divergências não impediram unanimidade

Soares: Divergências não impediram unanimidade

Diana Tinoco Margarida Davim 11/01/2017 16:24

O voto de pesar pela morte de Mário Soares foi hoje aprovado com os votos favoráveis de todos os partidos na Assembleia da República.

As divergências com o PCP no pós-25 de Abril ou na adesão à CEE ou as diferenças com o CDS sobre a forma da descolonização ou até as críticas feitas ao Governo de Passos Coelho e Paulo Portas, nada disso impediu o voto favorável de todos os partidos com representação parlamentar do voto de pesar redigido por Eduardo Ferro Rodrigues.

Além do voto, Soares teve direito a que todas as bancadas se levantassem após a votação e quase todos os deputados aplaudissem de pé. Alguns, como o deputado comunista Miguel Tiago, optaram por se levantar - tanto após a votação como após a exibição de um curto vídeo com imagens da vida de Mário Soares - mas sekm aplaudir.

No final, todos sem excepção cumpriram um minuto de silêncio que terminou com nova ovação que se estendeu por longos segundos, terminando apenas quando se começou a ouvir no hemiciclo o hino tocado pela banda da GNR nos Passos Perdidos da Assembleia da República e que deu lugar a mais um longo aplauso de pé por todas as bancadas parlamentares.

Foi o encerrar de três dias de luto nacional pela morte do antigo Presidente da República que foram também dos dias do primeiro funeral de Estado realizado no Portugal democrático e que ficaram marcados por várias cerimónias e homenagens a um dos homens que ajudaram a construir a democracia.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×