26/9/17
 
 
Pais lançam petição a reclamar obras “urgentes” na Escola Secundária José Falcão em Coimbra

Pais lançam petição a reclamar obras “urgentes” na Escola Secundária José Falcão em Coimbra

Ana Petronilho 10/01/2017 16:49

Os pais dos alunos da histórica Escola Secundária José Falcão, em Coimbra, voltaram a apelar à realização de obras “urgentes” no edifício.  

Depois de, no ano passado, terem recorrido ao presidente da Câmara de Coimbra, Manuel Machado, a Associação de Pais e Encarregados de Educação (APEE) dos alunos daquela escola lançou, ontem, uma petição a alertar para a necessidade urgente de uma intervenção de fundo naquele estabelecimento de ensino.

A petição, disponível na internet, conta já com cerca de 1.500 subscritores: Caso ultrapasse as quatro mil assinaturas será obrigatoriamente discutida na Assembleia da República.

A escola, frequentada por cerca de mil alunos do 7º ao 12º ano de escolaridade, funciona num edifício com 80 anos classificado como monumento de interesse público, que “nunca sofreu uma intervenção de fundo”, disse à Lusa o diretor Paulo Ferreira. Foi um dos três primeiros liceus do país, criado a 19 de novembro de 1836.

"A Escola Secundária José Falcão é um dos exemplos maiores da arquitetura modernista em Portugal, mas necessita de uma intervenção urgente no seu edifício", alerta a direção da APEE, em comunicado.

Já em outubro, o director da José Falcão alertou que grande parte da canalização e instalação elétrica tem o mesmo tempo de vida que o do edificado. Além disso, acrescentou o diretor, “há vários sinais de infiltrações e humidade em todo o edifício, chove na câmara escura do laboratório de física e em algumas salas, e, no inverno, há alunos que trazem mantas e professores que dão aulas de casaco devido ao frio que se faz sentir”.

Segundo a APEE a Parque Escolar chegou a incluir por duas vezes a José Falcão mas as obras não chegaram a avançar. Por isso, dizem os pais, "o edifício e os seus equipamentos estão num estado de degradação evidente”. E se nada for feito,” está em causa o bem-estar e a segurança dos quase mil alunos, professores e funcionários, que estudam e trabalham na escola mais antiga e inspiradora da cidade, e uma das mais históricas do país", lê-se no comunicado.

Inicialmente, a escola estava ainda ausente da lista de 200 escolas que vão ser requalificadas através de fundos comunitários, mas em outubro o secretário de Estado da Educação, João Costa, visitou o edifício e admitiu o apoio a obras naquela escola, segundo o Diário das Beiras. 

“Teremos de encontrar uma fonte de financiamento robusta para fazer a intervenção devida, eventualmente quando se fizer a renegociação intercalar dos acordos do Portugal 2020”, disse o secretário de Estado da Educação, João Costa, a 13 de outubro durante a visita à Escola Secundária José Falcão.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

Não tem utilizador? Clique aqui para registar

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×