15/11/19
 
 
Anatomia de um golo a quase 3 metros de altura

Anatomia de um golo a quase 3 metros de altura

Jornal i 07/07/2016 12:23

O golo de Ronaldo está impressionar pela impulsão, altura e força. A imprensa estrangeira comparou-o a Michael Jordan.

Ronaldo negou as leis da física? Parece que sim, segundo o jornal italiano Gazzeta dello Sport. "Ronaldo permaneceu suspenso no ar, como se fosse o Michael Jordan do futebol”. A comparação vem do lance do primeiro golo de Portugal a Gales.

A Gazetta fala em voo. "Ronaldo coloca fora Bale e Portugal voa para a final”.

E foi isso mesmo - um voo. Ronaldo ficou parado a 77 centímetros do solo e atingiu uma altura de quase três metros (2,6 metros). E deixou o defesa Chester pregado à relva.

"James Chester [defesa galês que saltou com Ronaldo]. Desta vez, Ronaldo deixou-o ficar mal na fotografia. Acabou com ele, coitado. Foi uma grande noite para CR7, em Lyon: marcou um golo, saltando literalmente sobre o defesa galês, deu o segundo golo e venceu o duelo com Bale pela Bola de Ouro, colocando Portugal na final. É um campeão! Chester caiu no chão, ele permaneceu suspenso no ar, mais tempo, muito mais, como se fosse o Michael Jordan do futebol. Magia! Levitação!”, escreve o diário italiano.

Em Espanha, o salto de Ronaldo também não passou em claro. "CR7 voa muito alto”, títula a Marca. "Parou a história durante uns segundos”, em referência ao golo. "Foi o tempo que tardou a dar o grande salto que pôs Portugal na final do Euro”.

Ronaldo já marcou vários golos assim - como este marcado há Roma em 2008, para a Liga dos Campeões.



“Dizem que os homens não voam, mas Cristiano nega as leis da física. Ficou suspenso no ar e ali protagonizou uma cabeçada para a eternidade do futebol português, que necessita de ganhar de uma vez por todas. A cabeçada que deu em Gales foi tremenda. Bale e os ‘dragões’ não lograram recuperar de tal selvajaria”, escreve o desportivo espanhol, exultante.

Ronaldo, na final da Champins frente ao Chelsea, fez um golo parecido com o que marcou a Gales.

Em França, além do golo, destacam também os recordes. “Portugal oferece a sim mesmo uma segunda final”, para no pós-título salientar que tal sucedeu “graças a um golo de CR7 e uma assistência a Nani que põe Portugal a disputar a sua segunda final de um campeonato da Europa, 12 anos depois de a ter perdido em casa, no Euro 2004”, escreve o L'Équipe. O diário francês recorda o recorde de Platini, agora igualado. 

“Cristiano iguala Platini”, a lembrar o nono golo em quatro fases finais em Europeus: “CR7 tornou-se no co-melhor goleador da história do Euro a par de Michel Platini, com nove golos à sua conta". O francês  “marcou nove golos no Euro 84”, no qual a França eliminou Portugal nas meias-finais, enquanto Ronaldo “marcou dois em 2004, um em 2008, três em 2012 e, para já, três em 2016”.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×