9/12/18
 
 
Caso Cardinal. Pereira Cristóvão condenado a quatro anos e meio

Caso Cardinal. Pereira Cristóvão condenado a quatro anos e meio

Jornal i 27/05/2016 17:04

O ex-inspetor da Polícia Judiciária e ex-vice presidente do Sporting Paulo Pereira Cristóvão foi condenado, esta sexta-feira, a quatro anos e meio de prisão, com pena suspensa, no âmbito do processo Cardinal.

O tribunal deu como provado que Pereira Cristóvão cometeu dois crimes de peculato, um de acesso ilegítimo e um de denúncia caluniosa. Os 15 meses que esteve em prisão efetiva vão ser descontados à pena a que foi condenado.

A juíza que tinha o processo em mãos considerou mesmo que "prova é inequívoca".

O esquema montado foi pensado ao pormenor. O antigo dirigente leonino criou uma lista de árbitros, assistentes e observadores, onde constava o número de identificação fiscal, número de identificação bancária, rendimentos, titularidade de bens móveis e imóveis e ainda a identificação do cônjuge.

Pereira Cristóvão, que foi absolvido dos crimes de crimes de burla qualificada e branqueamento de capitais, terá de pagar ainda uma indemnização de 40 mil euros ao árbitro José Cardinal por danos não patrimonais e 500 euros a cada um dos 35 árbitros que se constituíram como assistentes – um total de 17 500 euros.

Fica ainda proibido de exercer a atividade de dirigente desportivo nos próximos três anos.

O Sporting Clube de Portugal e o outro arguido deste processo, Vitor Viegas, foram absolvidos de todos os crimes porque estavam acusados.

Paulo Pereira Cristóvão está envolvido em outros dois processos que correm na Justiça.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×