24/1/21
 
 
Economistas pedem fim de paraísos fiscais

Economistas pedem fim de paraísos fiscais

DR João Madeira 09/05/2016 16:34

Mais de 300 economistas de 30 países subscreveram uma carta aberta a pedir aos líderes mundiais que acabem com os offshores, argumentando que não há justificação económica para que os paraísos fiscais continuem. 

O documento, publicado hoje, reúne nomes como Thomas Piketty, autor do best-seller “O Capital no século XXI”, Angus Deaton, prémio nobel da Economia em 2015, e Olivier Blanchard, ex-economista-chefe do FMI. Do grupo fazem ainda três economistas portugueses: Alexandre Abreu, Guilherme Barreto e Eugénia Pires.

A carta surge dias antes antes de um encontro em londres sobre corrupção através de offshores, que deverá contar com a presença de 40 líderes políticos internacionais, bem como representantes do Banco Mundial e do FMI.

Os subscritores incentivam os líderes mundiais a “fazer movimentos significativos para acabar com a era dos paraísos fiscais”. Justificam que os paraísos fiscais não contribuem para a riqueza ou bem-estar a nível global e que “não servem qualquer propósito económico útil”.

Segundo a carta, estas jurisdições apenas beneficiam “alguns indivíduos ricos e corporações multinacionais à custa dos outros” e que, desta forma, servem apenas para aumentar a desigualdades.

A missiva é subscrita por vários investigadores de referência no campo das políticas públicas. No caso dos portugueses, Alexandre Abreu é um investigador do Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina, do ISEG. Doutorado pela Universidade de Londres, é co-autor do blogue Ladrões de Bicicletas e do livro “A Crise, a Troika e as Alternativas Urgentes”.

Já a economista Eugénia Pires estudou na School of Oriental and African Studies da Universidade de Londres e foi membro da Comissão de Auditoria da Iniciativa Cidadã para uma Auditoria à Dívida Pública.

 

Ler Mais


Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×