14/10/19
 
 
Ministro oferece "bofetadas" a Augusto M. Seabra

Ministro oferece "bofetadas" a Augusto M. Seabra

José Sérgio Margarida Davim 07/04/2016 10:29

O ministro da Cultura não gostou do que escreveu Augusto M. Seabra e resolveu usar o Facebook para lhe responder. 

No post, João Soares oferece "um par de bofetadas" ao fundador do jornal Público e acusa-o de ser um alcóolico. Pelo meio, ainda junta a mesma ameaça ao cronista Vasco Pulido Valente.

"Em 1999 prometi-lhe publicamente um par de bofetadas. Foi uma promessa que ainda não pude cumprir", começa por escrever Soares, para logo de seguida explicar que essa é uma promessa que ficou por cumprir por falta de oportunidade.

"Não me cuzei com a personagem, Augusto M. Seabra, ao longo de todos estes anos. Mas continuo a esperar ter essa sorte. Lá chegará o dia", continua o ministro da Cultura, explicando que nessa altura como agora a vontade atacar fisicamente Augusto M. Seabra foi motivada pelo que o cronista escreveu no Público.

João Soares diz que na altura uma amiga chegou a desvalorizar o conteúdo do que Seabra escreveu por causa do alegado alcoolismo do autor. 

"Ele tinha, então, bolçado sobre mim umas aleivosias e calunias. Agora volta a bolçar, no "Publico". É estória de "tempo velho" na cultura. Uma amiga escreveu: "vale o que vale, isto é: nada vale, pois o combustível que o faz escrever é o azedume, o álcool e a consequente degradação cerebral. Eis o verdadeiro vampiro, pois alimenta-se do trabalho (para ele sempre mau) dos outros."", partilha o governante, que aproveita a oportunidade para oferecer também "bofetadas", a um outro cronista do Público.

"Estou a ver que tenho de o procurar, a ele e já agora ao Vasco Pulido Valente, para as salutares bofetadas. Só lhes podem fazer bem. A mim também", remata o ministro que desde o início do mandato, há seis, meses já se envolveu numa polémica pública com o então diretor do CCB, António Lamas, ao defender no Parlamento que deveria demitir-se imediatamente.

Lamas acabou por sair, mas não sem antes se levantar uma polémica em torno do modo escolhido pelo ministro da Cultura para criticar e afastar o diretor do Centro Cultural por discordar do projeto do eixo Belém-Ajuda e entender que teria de ser antes debatido com a Câmara de Lisboa.

Agora como nos tempos em que era presidente da Câmara de Lisboa, Soares volta a mostrar que é polémico.

 

 

Em 1999 prometi-lhe publicamente um par de bofetadas. Foi uma promessa que ainda não pude cumprir. Não me cuzei com a...

Posted by João Soares on Wednesday, April 6, 2016
Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×