1/11/20
 
 
México. El Chapo está desesperado e quer ir dormir para os EUA
Suspeito prometia carreiras de manequim

México. El Chapo está desesperado e quer ir dormir para os EUA

Suspeito prometia carreiras de manequim DR Maria Teresa Oliveira 04/03/2016 16:46

Chapo fugiu duas vezes da cadeia e o governo mexicano não admite uma terceira humilhação. O controlo é tal que o traficante reza para que o mandem para outro lado

El Chapo, o barão da droga, está desesperado e quer ser extraditado para os EUA logo que possível.

Já fugiu duas vezes da prisão, a primeira em 2001 quando escapou num carro que levava roupa suja, e voltou a fazê-lo em julho do ano passado, depois de os seus comparsas lhe terem escavado um túnel de 1500 metros debaixo do chuveiro da cela. Agora, os seus carcereiros não estão dispostos a assistir a mais uma fuga digna de filme de acção e tomaram medidas preventivas que estão a deixar Joaqun Guzmán louco.

“Ele disse-me, literalmente: ‘Eles acordam-me a cada quatro horas, todas as noites, para fazer a contagem. (...) estão a transformar-me num zombie. Eles não me deixam dormir. Só quero que me deixem dormir’”, relatou um dos seus advogados, Juan Pablo Badillo, à CNN. E, em depoimento escrito, disse o próprio Chapo à SkyNews: “A minha cabeça e os meus ouvidos estão sempre a doer e sinto um mal estar geral”.

O seu advogado principal, José Refugio Rodríguez, diz que está a ser objeto de uma vingança pelo Estado mexicano, que “mantém a sua cela iluminada, que o filma e vigia todos os seus movimentos. Não têm necessidade de o acordar a todas as quatros horas, isso é arbitrário”, afirmou ao diário mexicano “El Universal”.

O governo federal responde-lhe com uma lei de 2015, que estabeleceu regras mais apertadas para vigiar presos de alta perigosidade, como o traficante recapturado a 8 de janeiro.

Em janeiro, o “El Pais” contava que “deveria ser o homem mais vigiado do mundo”, já que, além das câmaras, há “sensores térmicos e mudam-no frequentemente de cela”. Tem ainda “a sua comida provada por cães e os seus guardas são controlados por outros guardas, que por sua vez são controlados pela cúpula de um Estado que sabe que se volta a escapar não haverá muros nem barras que contenham a indignação popular”.

Quando Chapo foi preso, os seus defensores disseram que iam tentar adiar a extradição o mais possível. Agora, afirmam que o seu cliente pode estar do outro lado da fronteira em escassos meses - o que não é contrariado pelo presidente mexicano Enrique Peña Nieto, que quer livrar-se do problemático prisioneiro o mais rapidamente possível.

O objetivo é negociar com os EUA para que Guzmán se dê como culpado, recebendo em troca uma sentença mais leve que cumpriria numa prisão de média segurança. Não será simples, já que é acusado de delitos graves em vários estados, como Nova Iorque, Chicago ou Miami. O principal advogado do traficante facilita e diz que se houver problemas negoceia diretamente com o procurador-geral do país.

“Quer estabelecer um diálogo com o governo dos EUA para chegar a um acordo que acelere a extradição, o que é muito diferente de pedir a extradição” acrescentou Refugio Rodríguez . “Esta determinação é o produto do desespero, do trato cruel e desumano que sofre”. Com Peña Nieto não se brinca.

teresa.oliveira@ionline.pt

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×