12/04/2024
 
 
Número de patentes europeias concedidas a Portugal mais do que duplicou em 2015

Número de patentes europeias concedidas a Portugal mais do que duplicou em 2015

Sara Matos João d’Espiney 03/03/2016 09:13

Pedidos de empresas e centros de investigação registou número recorde

O número de patentes europeias concedidas às empresas e centros de investigação portugueses mais do que duplicou em 2015.

De acordo com os dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Europeu de Patentes (IEP), foram concedidos 46 patentes, o que representa o maior número dos últimos dez anos, e um aumento de 109% em relação a 2014.

Os dados indicam ainda que Portugal apresentou 137 pedidos no IEP, um número recorde, além de traduzir um acréscimo de 21,2% em relação ao ano anterior.

Este crescimento “muito significativo” é também um dos maiores da Europa e ficou muito acima da média da União Europeia (0,3%).

O INL, Laboratório Ibérico internacional de Nanotecnologia, com oito, foi o centro de investigação que apresentou mais pedidos de patentes portuguesas, seguido pela empresa Saronikos Trading and Services (6), a Universidade do Minho (6), a Novadelta-Comércio e Industria de Cafés (5) e a empresa Oliveira & Irmão (5).

Com a Universidade do Porto, a A4TEC – Association for the Advancement of Tissue Engineering and Cell Based Technologies & Therapies, o CeNTI – Centre for Nanotechnology and Smart Materials, e a Universidade de Coimbra, Portugal tem três centros de investigação e três universidades entre os 10 maiores requerentes de patentes.

Em termos globais, os pedidos de patentes junto do IEP aumentou 4,8% para 160 mil. Um aumento para o qual contribuíram sobretudo, as empresas dos Estados Unidos (+16,4%) e da China (+22,2%).

“O incrível crescimento de pedidos de patentes ao IEP prova que a Europa continua a ser um hub para inovadores de todo o mundo e um mercado tecnológico muito atractivo” salientou o presidente do IEP, Benoît Battistelli. “Apesar do crescimento impressionante dos pedidos provenientes de países de fora da Europa, o balanço do número de pedidos de patentes realizados por empresas europeias noutras regiões continua a ser claramente positivo, o que realça o potencial de inovação da economia europeia”, acrescentou.

Segundo o IEP, a Tecnologia Médica constituiu, mais uma vez, a área com mais pedidos de patentes, tendo registado até um crescimento de 11% relativamente a 2014.

joão.despiney@ionline.pt

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline