28/9/21
 
 
Tabaco. Despeça-se da sua marca preferida porque ela não volta

Tabaco. Despeça-se da sua marca preferida porque ela não volta

Tabaqueira vai acabar com a venda de várias marcas de cigarros. A decisão está tomada e já há lojas a aceitar grandes encomendas de fumadores precavidos que querem prolongar por mais algumas semanas o consumo da sua marca de tabaco de eleição.

Fuma Philip Morris, Gigante, Chesterfield Silver ou Filtro? Fumava. Pois, é que a Tabaqueira vai acabar – sim, A-CA-BAR – com a venda de várias marcas de tabaco. Os comerciantes estão a vender o que têm em stock até esgotar e há quiosques onde os fumadores estão a comprar volumes inteiros do tabaco que fumam (que fumavam?) porque se prevê que já não sejam feitas mais entregas de algumas destas marcas.

O i soube de um cliente confrontado com o fim da marca de tabaco que fuma quando a própria máquina registadora anunciou que o produto tinha sido descontinuado. Perante o alerta – uma pequena cruz no ecrã –, o trabalhador da tabacaria comunicou a nova realidade ao cliente e mostrou-lhe um “folheto” da Tabaqueira onde a empresa sugeria uma troca direta: os fumadores podem passar a consumir outras marcas consideradas semelhantes, tendo em conta o nível de alcatrão, nicotina e monóxido de carbono com preços semelhantes.

Desde o anúncio do fim destas marcas até às encomendas em larga escala foi um pequeno passo. “Há muitos clientes a pedirem-nos para reservar um volume da marca que fumam com receio que amanhã possam não encontrar. No mínimo, têm de pagar 42 euros, mas poderá ser superior se o maço for mais caro”, revela o mesmo colaborador. Este pode não ser um caso isolado, já que os fumadores estão a ter conhecimento deste desfecho a poupo e pouco.

As alterações ao “portefólio” da Tabaqueira já começaram a ser feitas. Numa primeira fase, deixaram de sair da fábrica da empresa, em Albarraque, três marcas de tabaco: Philip Morris, Gigante, Chesterfield Silver. As restantes só mais tarde deixarão de ser vendidas, mas, para todas elas, o destino é o mesmo: o fim a venda.

“Adaptar a oferta” A Tabaqueira não confirma que marcas vão deixar, muito em breve, de estar disponíveis aos consumidores nacionais.

Nos últimos vinte anos, a empresa “quase quadruplicou o volume da sua produção”. Nessa linha, 2014 tinha sido um ano de “acréscimo da produção total de cigarros”. Agora – e ainda sem as contas de 2015 fechadas –, a empresa refere que, apesar de tudo apontar para um “aumento substancial do volume de produção da fábrica de Sintra” no último ano, a fábrica de Sintra vai mesmo rever a oferta. “Num mercado muito dinâmico, a Tabaqueira continua a adaptar a sua oferta de produtos de tabaco à procura dos fumadores adultos”, justifica fonte da empresa, questionada pelo i.

Essa “adaptação” fez dezenas de baixas ao longo dos anos. Quer exemplos? Definitivos, Kentuky, 20 20 20, High-life, Ritz Ritz Lights, Sintra, Monserrate, Paris, Negritas, Surf 18, Surf Lights, SG Masters, SG Pack, Benfica, CUF, Provisórios. Todos eles desapareceram.

Para já, mantém-se a aposta na marca SG – uma das mais procuradas em Portugal –, mas o i sabe que outros produtos estão no fim do seu período de vida. Os comerciantes têm sido alertados para essa mudança e têm sido elucidados por profissionais ligados à tabaqueira das “trocas” que podem sugerir aos fumadores (consultar quadro ao lado).

A empresa refere que “no plano nacional, apesar de condições de mercado ainda adversas e em ambiente competitivo intenso, a Tabaqueira tem procurado dar continuidade ao esforço de ir ao encontro das expectativas e preferências dos fumadores adultos, inovando e comercializando marcas de referência a nível nacional e internacional, com uma oferta abrangente de produtos de tabaco, nas suas categorias de preço preferidas”.

Preços mais altos Por falar em categorias de preços preferidas dos portugueses, as más notícias para os fumadores não deverão ficam por aqui.

De acordo com um comerciante ouvido pelo i, além de deixar de pôr à venda alguns dos seus produtos, a Tabaqueira prepara-se para fazer subir os preços dos maços de tabaco que continuem a chegar às lojas. A subida poderá rondar os 20 cêntimos por maço, a julgar pelos aumentos praticados nas últimas alterações.

Fim das marcas. O que é sugerido pela Tabaqueira

•  Philip Morris Original deve ser substituído pelo L&M Red Label ou  pelo Chesterfield Red. Apresentam todos as mesmas características: alcatrão 10mg/ nicotina 0,8mg/ monóxido de carbono 10mg. O preço é semelhante 4,20 euros, no caso do Chesterfield poderá custar mais 10 cêntimos se optar por caixa (em vez de soft pack)

•  Philip Morris Royal Blue deve ser substituido pelo Blue Label ou pelo Chesterfield Blue. A regra é a mesma: alcatrão 8mg/ nicotina 0,6mg/ monóxido de carbono 9mg). Também neste caso o preço é igual: 4,20 euros, mas pode pagar mais 20 cêntimos se optar por caixa (a versão soft pack custa 4,20 euros)

•  SG Gigante dá lugar ao SG Ventil. O preço é diferente, já que poupa 20 cêntimos (4,70 euros no primeiro face aos 4,50 euros no segundo). Também as caracteristicas diferem. O gigante tem 10mg de alcatrão, 0,7mg de nicotina 0,7mg e 10mg de monóxido de carbono, enquanto o Ventil tem 9 mg de alcatrão, 0,6 de nicotina e o mesmo de monóxido de carbono.

 

(Nota: foram retiradas as referências à marca Camel Activate, comercializadas pela Japan Tobacco International, que continuará disponível nas lojas

pedro.rainho@ionline.pt e sonia.pinto@ionline.pt

Ler Mais


×

Pesquise no i

×