23/9/20
 
 
Yuzuru Hanyu. Um recorde sobre gelo
Bater recorde não era objectivo mas deixou japonês aliviado

Yuzuru Hanyu. Um recorde sobre gelo

Bater recorde não era objectivo mas deixou japonês aliviado Koji Sasahar/AP Rui Pedro Silva 28/11/2015 22:00

Japonês de 20 anos é campeão olímpico e bateu a melhor marca no programa curto.

Yuzuru Hanyu tem 20 anos e é mais um dos muitos prodígios que o Japão soube criar nos últimos anos para as modalidades técnicas. No programa completo de ginástica, Kohei Uchimura é rei e senhor e venceu o Mundial pelo sexto ano consecutivo. Na patinagem artística, Yuzuru pode estar a dar os primeiros passos na hegemonia, mas já deixou a fasquia muito elevada.

Natural da prefeitura de Miyagi, que não o mentor de DanielSan, começou a patinar com quatro anos, em 1998, e soube sempre encarnar o desejo do pai, que queria para ele uma vida de trabalho árduo, com confiança, força e carácter. Habituado a ver o ucraniano Evgeni Plushenko na televisão (o patinador que faz furor no YouTube com um vídeo a dançar ao som de “Sex Bomb”, de Tom Jones), Yuzuru foi atrás da história.

Campeão olímpico em Sochi e mundial em Saitama (2014), já não tem provas para dar. E se este ano não foi além da medalha de prata nos Mundiais de Xangai em Março, o patinador arranjou forma de terminar o ano por cima.

A competir em casa, no Troféu NHK em Nagano, Yuzuru Hanyu estabeleceu um novo recorde mundial no programa curto em patinagem artística. A melhor marca já lhe pertencia (101,45 em Sochi) mas fez questão de dar um importante passo em frente e elevar o registo para 106,33 pontos ao som da Balada n.o 1 de Chopin. Durante a coreografia, Yuzuru fez dois saltos quádruplos e um triplo axel. “Senti que tinha de incluir os dois quádruplos no programa curto. Como campeão olímpico, achei necessário para me preparar para os Jogos de 2018”, explicou no final. 

Conseguir o recorde não fazia parte dos planos mas a nova melhor marca é considerada uma consequência natural. “Estou feliz e surpreendido, mas sobretudo aliviado. Trabalhei muito para o conseguir”, afirmou. O segundo classificado, o chinês Boyang Jin (18 anos), terminou a praticamente 11 pontos de diferença – 95,64.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×