16/9/19
 
 
Rui Vitória. Um atraso nunca vem só
Vitória fez o choradinho da arbitragem mas as três derrotas com o Sporting não estão a ajudar a época de estreia no Benfica

Rui Vitória. Um atraso nunca vem só

Vitória fez o choradinho da arbitragem mas as três derrotas com o Sporting não estão a ajudar a época de estreia no Benfica Manuel de Almeida/Lusa Pedro Miguel Neves 23/11/2015 13:32

Ao terceiro dérbi, Benfica já esteve melhor mas voltou a perder. 

Rui Vitória não tem sido feliz nos duelos com Jorge Jesus. Nem dentro nem fora de campo. No jogo falado o técnico leonino tem-se saído melhor, no relvado as três vitórias do Sporting frente ao Benfica no espaço de três meses começam a deixar o técnico encarnado numa posição mais complicada.

O conveniente atraso de mais de 30 minutos, para começar a falar depois de JJ na antevisão do dérbi da Taça de Portugal, é apenas um fait divers. Rui Vitória tem outro atraso que o vai preocupar muito mais. É que após a eliminação na Taça (e de perder a Supertaça para os leões), a liga é cada vez mais o foco dos bicampeões nacionais.

O treinador do Benfica teve um duro discurso contra a arbitragem de Jorge Sousa no dérbi (derrota por 2-1 após prolongamento), mas o rescaldo do jogo em Alvalade é pior do que poderia esperar. Luisão foi operado a uma fractura no antebraço esquerdo e estima-se que o tempo de paragem seja de cerca de dois meses;Gaitán foi observado no hospital devido a um traumatismo craniano e Samaris viu o cartão vermelho (por acumulação de amarelos), que o afasta da próxima jornada.

Como se não bastasse o cansaço de um jogo de ritmo elevado que durou 120 minutos e algumas mazelas nos seus futebolistas, o Benfica faz hoje (23h00) a mais longa viagem na história da Champions: Lisboa-Astana, no Cazaquistão.

A lesão de Luisão e o vermelho a Samaris são as maiores preocupações para o ciclo que hoje se inicia. Depois da longa viagem ao Cazaquistão, águias jogam desfalcadas em Braga e sem margem de erro: um deslize pode aumentar o atraso de oito pontos para o líder.

Mesmo um mau resultado na quarta-feira pode chegar para as águias confirmarem o apuramento para os oitavos-de-final, um dos objectivos traçados no início da temporada. Porém, o jogo da próxima segunda-feira em Braga (11.a jornada) assume contornos de maior importância perante a actualidade do clube lisboeta. Rui Vitória já sabe que não poderá utilizar Luisão e Samaris, baixas importantes para um encontro que se espera de dificuldade máxima. A equipa de Paulo Fonseca está à frente do Benfica (dois pontos de vantagem e mais um jogo), tem 15 golos marcados em cinco embates na Pedreira e ainda recentemente roubou dois pontos ao FCPorto no Dragão. 

Cenários

Lisandro será chamado a ocupar o lugar do capitão Luisão, enquanto no meio-campo Rui Vitória tem tido dificuldade em encontrar uma alternativa sólida a Samaris. Mas o técnico sabe que, jogue quem jogar em Braga (21h00), o Benfica está obrigado a ganhar. OSporting recebe no mesmo dia o Belenenses (19h00) e, caso triunfe, pressionará ainda mais o rival lisboeta. Neste cenário, o Benfica arrisca que a desvantagem para o líder aumente até aos 11 pontos; embora os bicampeões tenham um encontro em atraso, seria já uma distância muito considerável em apenas três meses de competição. 

É verdade que no sábado o Benfica fez o melhor dérbi desta época, mas até isso foi insuficiente para evitar o mesmo final dos restantes:a derrota. Por muito que os responsáveis encarnados tenham tentado passar insistentemente a mensagem de que “a melhor equipa ficou pelo caminho”, a crítica foi unânime em reconhecer os leões como justos vencedores.

Se na noite de segunda-feira as águias estiverem mais longe do líder do campeonato, os adeptos mais depressa se lembrarão das três derrotas contra o Sporting de Jorge Jesus do que o provável apuramento na Liga dos Campeões. A pressão em torno de Rui Vitória pode assumir assim o seu nível máximo. 

Para afastar de vez o pesadelo recorrente que se coloriu de verde-e-branco, o técnico contratado ao V. Guimarães necessita de garantir os oitavos-de-final na Champions e de vencer em Braga para afastar as dúvidas sobre o real valor do plantel encarnado. E, claro, esperar que os leões escorreguem em casa frente aos azuis do Restelo.

A semana que aguarda Rui Vitória não será fácil. Mas, como o treinador gosta de sublinhar, “se fosse fácil” não era para ele. A massa associativa é que pode perder a paciência se as dificuldades se traduzirem num maior atraso para os rivais. Ontem, no Seixal, cerca de duas dezenas de adeptos tentaram forçar a entrada no treino da equipa.

Segundo o MaisFutebol, acabaram por ser impedidos por elementos das autoridades.

próprio Jorge Jesus admitiu que não esperava vencer três vezes seguidas a sua antiga equipa. Em 90 dias de competição, o Benfica já leva seis derrotas em 16 jogos – Na época passada, com JJ, as águias somaram sete desaires no total. Mesmo que na próxima semana o Benfica esteja numa situação ainda mais complicada, não é de esperar que Luís Filipe Vieira tome uma decisão radical.

O presidente das águias admitiu que se arrependeu de ter despedido Fernando Santos após a 1.a jornada em 2007/08. Além disso, Rui Vitória tem apenas quatro meses de trabalho no clube, pouco ainda para julgar tudo aquilo que poderá trazer. Para já, a aposta na formação tem agradado a responsáveis e adeptos. Faltam agora melhores resultados para evitar que o clima se torne demasiado cinzento sobre a Luz.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×