29/3/20
 
 
Paris. O que já sabemos e o que ainda está por confirmar

Paris. O que já sabemos e o que ainda está por confirmar

Ana Kotowicz 14/11/2015 17:29

O filme dos vários acontecimentos do dia

Passaporte sírio era de refugiado que entrou pela Grécia

O portador do passaporte sírio, encontrado junto do cadáver de um dos terroristas, atravessou a Grécia em Outubro, anunciou o ministro grego Nikos Toscas. “O portador do passaporte passou pela ilha de Leros a 3 de Outubro de 2015, altura em que foi identificado segundo as regras da União Europeia.” Ainda não está confirmado que o terrorista e o portador do passaporte sejam a mesma pessoa.

Alemanha pede para não misturar atentados com crise de refugiados

“Quero fazer este apelo urgente para que se evite estabelecer ligações rápidas com a situação relativa aos refugiados.” O ministro do Interior da Alemanha falava após uma reunião do gabinete de crise do governo alemão, na qual foi decidido aumentar a presença policial e reforçar o controlo das fronteiras, assim como monitorizar de perto os grupos de extrema-direita.

Operação policial em Bruxelas relacionada com ataques

Três dos oito terroristas envolvidos nos ataques de ontem serão do bairro de Bruxelas (Molenbeek) onde a polícia belga entrou esta tarde para levar a cabo uma rusga. Terão sido feitas várias detenções durante a operação policial. Um dos carros usados nos atentados de ontem teria matrícula belga.

Francês detido no aeroporto de Gatwick com arma

Segundo as autoridades de Sussex, Reino Unido, um francês de 41 anos foi detido pela polícia britânica e estará a ser interrogado depois de ter abandonado um pacote suspeito no aeroporto de Gatwick. Na sua posse teria o que “parecia ser uma arma”. Não se sabe se há relação com os atentados de Paris. O terminal de Gatwick já foi reaberto depois de ter sido evacuado para que a polícia pudesse explodir o pacote em segurança.  

TGV descarrila perto de Estrasburgo

Cinco mortos foi o balanço do descarrilamento de um TGV perto de Estrasburgo. O comboio de alta velocidade efectuava ensaios na nova linha e descarrilou em Eckwersheim. Pensa-se que o descarrilamento terá sido devido a excesso de velocidade. Para já, não parece ter ligações aos atentados de Paris.

Avião evacuado em Amesterdão devido a ameaça de bomba

As ameaças chegaram via Twitter e as autoridades holandesas não hesitaram. Um Airbus A321 foi evacuado ao início da tarde para ser revistado no aeroporto de Schipol, em Amesterdão, depois de o voo ter recebido “ameaças” terroristas. As autoridades não revelaram de que companhia aérea é o avião.

Francês identificado como possível atacante

Um dos presumíveis autores dos atentados será um cidadão francês e estava referenciado pela polícia por terrorismo. O corpo terá sido identificado pelas impressões digitais, segundo a imprensa francesa. A polícia também terá descoberto um passaporte sírio e outro egípcio nos corpos de dois presumíveis terroristas.

Países europeus reforçam segurança

Só a Itália reforçou o nível de alerta mas vários países europeus anunciaram o reforço das medidas de segurança em aeroportos, portos e fronteiras. Segundo o ministro italiano do Interior, Angelo Alfano, o nível de alerta foi elevado para o segundo mais alto, o que permite uma intervenção imediata das forças especiais do exército, se for necessário.

Polónia recusa mais refugiados sírios

Depois dos atentados em Paris, a Polónia diz que não poderá mais respeitar os acordos europeus de recolocação de migrantes, na sequência dos atentados de Paris

Ligação entre ataques e homem detido na Alemanha

“Há uma hipótese fundamentada de haver uma possível ligação.” As autoridades alemãs anunciaram que poderá haver uma ligação entre os atentados de Paris e um homem detido na Alemanha na semana passada na posse de armas automáticas e explosivos, afirmou o ministro-presidente da Baviera.

Torre Eiffel, Eurodisney e Louvre encerrados por tempo indeterminado

Estado islâmico reivindica o ataque

O Estado Islâmico reivindicou o ataque, através de um comunicado divulgado nas redes sociais. Nele dizia que os atentados eram resposta aos ataques aéreos franceses contra muçulmanos; que França e os seus aliados continuariam a ser os alvos preferenciais do Estado Islâmico e que este é apenas “o começo de uma tempestade”.

Hollande fala aos franceses

“Um acto de guerra”. François Hollande foi peremptório quando esta manhã, no Eliseu, voltou a falar aos franceses sobre os atentados terroristas que ontem à noite fizeram pelo menos 127 mortos em Paris. Responsabilizou o Estado Islâmico pelos ataques e prometeu uma resposta implacável. 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×