25/10/20
 
 
Inglaterra. Quem será o substituto de Stuart Lancaster?
Seleccionador ficou isolado após o fracasso da equipa no Mundial caseiro

Inglaterra. Quem será o substituto de Stuart Lancaster?

Seleccionador ficou isolado após o fracasso da equipa no Mundial caseiro Christophe Ena/AP Rui Pedro Silva 13/11/2015 19:10

Dinheiro não será problema e estrangeiro pode ser hipótese. Jake White é dado como nome forte.

Organizar uma grande prova é sempre uma oportunidade única para ter uma equipa com o apoio de um país inteiro por cima, mas também pode ser um factor adicional de pressão. Especialmente se o país for Inglaterra, independentemente da modalidade. No râguebi a tradição é forte e ninguém esquece que a selecção da rosa foi a única europeia a ganhar um Mundial no passado (2003). Para 2015, os mínimos exigíveis eram os quartos-de-final, sobretudo devido à complexidade de um grupo que tinha Austrália e Gales.

Inglaterra desiludiu. Começou com uma vitória motivadora frente às Fiji, com ponto de bónus ofensivo, mas viu o sonho de passar a fase de grupos fugir com as derrotas frente aos dois rivais. Como é natural neste tipo de situações, era preciso arranjar um culpado. Stuart Lancaster, o seleccionador, foi o elo mais fraco e a saída foi anunciada quarta-feira. Numa conferência com os dois homens fortes da federação, Bill Beaumont e Ian Ritchie, ficou a saber-se que houve um consenso relativamente à necessidade de mudar.

Há um novo capítulo a começar mas Beaumont e Ritchie não se querem precipitar. Garantiram que a pesquisa já começou, mas que o processo vai ser longo. E ainda que o dinheiro não será problema. Nem a nacionalidade da escolha.
O carrossel de nomes não demorou a aparecer, nem as críticas de quem não concorda com a eventual contratação de um estrangeiro. “Um grande nome não é propriamente bom”, analisou Clive Woodward, seleccionador que venceu o Mundial em 2003. “Temos cérebros muito bons em Inglaterra. Acho que deviam ser equacionados antes de se começar a pensar em nomes de fora”, continuou. Eddie Jones, o australiano que comandou o Japão no Mundial 2015, já garantiu que não teve contactos e que não está interessado, mantendo o desafio de orientar os Stormers (Super 18).

Em sentido contrário está Jake White. É sul-africano, tem 52 anos, foi campeão mundial como seleccionador do seu país em 2007, está no Montpellier desde 2014 e é apontado como o principal candidato a suceder a Stuart Lancaster. O interesse é correspondido: “Inglaterra tem recursos, tem história, tem tradição... se a federação quiser realmente um estrangeiro e me considerar uma boa opção, será ingénuo da minha parte dizer que não estou interessado.”
Mas há mais nomes que podem entrar na equação. Para Paul Rees, correspondente de râguebi do “Guardian”, a melhor opção seria roubar Warren Gatland à rival galesa.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×