19/9/18
 
 
Dizem que um corpo não tem preço. Mas tem e o valor é este

Dizem que um corpo não tem preço. Mas tem e o valor é este

Shutterstock Jornal i 11/11/2015 16:32

Quando o assunto é conseguir planear o futuro financeiro das famílias ou até planear o futuro quando tem a ver com algo que não se consegue prever, como por exemplo, um acidente, consegue-se estimar o valor de cada parte de um corpo.

No Brasil, o assunto mereceu destaque e o jornal “O Povo” fez mesmo um levantamento de quanto custaria cada uma dessas partes.

Neste país, cabe à Superintendência de Seguros Privados, autarquia que está vinculada ao Ministério da Fazenda, estabelecer os mínimos em relação a cada órgão ou membro lesado.

A publicação fez uma simulação com base num indivíduo de 35 anos, que tem um rendimento mensal no valor de 10 mil reais (2453 euros). Para ter o seguro recomendado para o caso dele, teria de pagar, por mês, 138 reais (33,86 euros).

Estes são alguns dos valores que iria receber por cada parte do seu corpo, caso acontecesse alguma coisa:

Cabeça

Perda total da visão – 500 mil reais (122 682 euros)

Perda total da visão de um olho – 150 mil reais (36 804 euros)

Surdez incurável de um dos ouvidos – 100 mil euros (24 536 euros)

Tronco

Imobilidade do segmento cervical da coluna vertebral – 100 mil reais (24 536 euros)

Membros

Perda total do uso de ambos os membros superiores – 500 mil reais (122 682 euros)

Perda total do uso de ambos os membros inferiores – 500 mil reais (122 682 euros)

Perda total do uso de ambos os pés – 500 mil reais (122 682 euros)

Perda total de ambas as mães – 500 mil reais (122 682 euros)

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×