12/11/18
 
 
E se tivesse uma aplicação móvel para ajudá-lo a manter o peso?
Os participantes no estudo vão ter acesso a um aparelho que dá informação sobre a sua actividade e a uma balança electrónica ligada à internet

E se tivesse uma aplicação móvel para ajudá-lo a manter o peso?

Os participantes no estudo vão ter acesso a um aparelho que dá informação sobre a sua actividade e a uma balança electrónica ligada à internet Shutterstock Jornal i 07/11/2015 10:16

Duas universidades portuguesas participam num projecto que o podem ajudar.

Duas universidades portuguesas participam num projecto europeu que utiliza uma aplicação móvel centrada na motivação e na parte emocional das pessoas que querem perder peso, já que a maior parte volta a ganhar os quilogramas perdidos.

O projecto 'NoHow', que reúne a Universidade de Lisboa e a Universidade de Coimbra, em Portugal, num total de 12 entidades, também na Dinamarca e no Reino Unido, tem financiamento de cinco milhões de euros, vai abranger 1.500 pessoas, 500 das quais portuguesas, e vem no seguimento da análise de estatísticas a apontar para que só uma em cada 20 pessoas que perdem peso não o voltam a ganhar, apesar de nove em cada 10 conseguir perder peso.

"Estamos à procura da manutenção da perda de peso", afirmou hoje à agência Lusa o coordenador operacional do projecto em Portugal e investigador na Faculdade de Motricidade Humana (FMH) da Universidade de Lisboa, António Palmeira.

A FMH já fez estudos sobre a motivação para perda de peso a longo prazo, apostando na individualização e seguimento directo de cada participante e agora o objectivo é "procurar transferir este conhecimento para aplicações móveis e construir uma aplicação que tem os mesmos princípios que funcionavam no projecto anterior", salientou.

No estudo, que terá início junto dos participantes dentro de oito meses, depois de desenvolvida a aplicação, há dois factores principais. "Um é a motivação a longo prazo, a pessoa tem de valorizar intrinsecamente o que está a fazer para perder peso, tal como as razões" para a dieta, o outro relaciona-se com a regulação emocional, explicou António Palmeira.

"Se as pessoas sentirem que o que estão a fazer é importante intrinsecamente e faz sentido para elas, em princípio, vão continuar", realçou o investigador, acrescentando que, na parte emocional, será testado o conceito 'mindfullness' (atenção plena, em cada momento), que será trabalhado pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

Assim, serão testadas as duas hipóteses e um grupo de pessoas faz a parte da motivação e outro faz a intervenção com o 'mindfullness', especificou.

Os participantes no estudo vão ter acesso a um aparelho que dá informação sobre a sua actividade e a uma balança electrónica ligada à internet que vai dar dados sobre o peso.

Quando questionado acerca da razão para o aumento de peso, o investigador respondeu que um dos factores fundamentais é a continuidade do comportamento. "As pessoas conseguem mudar o seu comportamento, de [prática de] exercício e alimentar durante algum tempo, talvez usado umas estratégias motivacionais menos correctas, e isso não se torna sustentável a longo prazo", argumentou António Palmeira.

Por isso, este projecto "vai procurar ajudar as pessoas a alterarem o seu comportamento de uma forma sustentada, a longo prazo", de forma a manterem o peso que conseguiram, concluiu o investigador.

Lusa

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×