22/9/18
 
 
Estado de saúde de Luaty Beirão é de alerta
Vigília de apoio aos activistas detidos em Angola, em Lisboa

Estado de saúde de Luaty Beirão é de alerta

Vigília de apoio aos activistas detidos em Angola, em Lisboa João Porfírio/Lusa Jornal i 22/10/2015 22:22

Segundo o médico do activista angolano, “a qualquer momento pode acontecer alguma coisa”.

O estado de saúde do activista luso-angolano Luaty Beirão, um dos 15 jovens activistas detidos desde Junho e em greve de fome há 32 dias é de alerta, segundo informação médica.

Em declarações à agência Lusa, Mónica Almeida, mulher de Luaty Beirão, disse que é estável o seu estado de saúde, mas é de alerta.

Segundo Mónica Almeida, “não é diferente” dos outros dias, hoje o estado de Luaty Beirão, mas segundo o seu médico “a qualquer momento pode acontecer alguma coisa”.

“Algo que pode não ser reversível”, referiu Mónica Almeida, confirmando que o também músico e engenheiro, de 33 anos, mantém a greve de fome.

O activista recebeu hoje a visita do embaixador de Portugal em Angola, João da Câmara, e, segundo uma nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Luaty Beirão estava “lúcido e a discorrer com clareza” durante a conversa.

“O embaixador de Portugal em Luanda pôde testemunhar que Luaty Beirão estava lúcido e a discorre com clareza, e tanto, quanto é possível aferir numa visita, a ser bem acompanhado em termos médicos”, referia a nota.

Luaty Beirão integra a lista de um grupo de 15 jovens detidos desde o passado dia 20 de Junho, acusados formalmente, desde Setembro, de prepararem uma rebelião e um atentado contra o Presidente, mas sem que haja uma decisão do tribunal de Luanda sobre a prorrogação da prisão preventiva em que se encontram.

Para denunciar a ilegalidade, Luaty Beirão iniciou a greve de fome, que decidiu continuar mesmo depois de marcado o julgamento para os dias entre 16 e 23 de Novembro.

O activista luso-angolano é um dos rostos mais visíveis da contestação ao regime angolano e já chegou a ser preso pela polícia em manifestações de protesto.

É filho de João Beirão, já falecido, que foi fundador e primeiro presidente da Fundação Eduardo dos Santos (FESA), entre outras funções públicas, sendo descrito por várias fontes como tendo sido sempre muito próximo do Chefe de Estado.

Lusa

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×