25/10/21
 
 
Por que é que Quintanilha não acredita na justificação de Rodrigues dos Santos?
Alexandre Quintanilha foi eleito pelo círculo do Porto do PS

Por que é que Quintanilha não acredita na justificação de Rodrigues dos Santos?

Alexandre Quintanilha foi eleito pelo círculo do Porto do PS José Paiva Capucho 09/10/2015 11:13

O jornalista diz que referência a Alexandre Quintanilha como “deputado eleitoou eleita” foi um lapso.

“Tenho muita dificuldade em aceitar que tenha sido um equívoco ou uma série de mal-entendidos.” O cientista e deputado eleito pelo PS Alexandre Quintanilha – assumidamente homossexual –, em declarações ao i, reage assim às palavras do pivô José Rodrigues dos Santos (JRS) no telejornal da RTP1. A polémica estalou ontem nas redes sociais, depois de o jornalista se ter referido ao também professor universitário como “o deputado eleito ou eleita”, numa peça do telejornal de anteontem que falava dos novos deputados eleitos para a Assembleia da República (AR).

A estação pública emitiu um comunicado alegando que se tratou de um “equívoco” e José Rodrigues dos Santos assinou por baixo a declaração. Certo é que a Entidade Reguladora para a Comunicação Social vai mesmo avançar com um processo contra o canal. As críticas, tal como inúmeras queixas enviadas à ERC e ao Provedor do Telespectador do canal 1, não se fizeram esperar.

Para Alexandre Quintanilha, a tratar-se de um lapso, “no mínimo seria uma falta de preparação e de profissionalismo”. “Passar as culpas para quem controlava as imagens não é nem ético nem responsável.” Por isso, o deputado fica agora à espera de um pedido de desculpas formal ao seu partido, aos eleitores e à AR. Ontem, um comunicado da RTP referia que o director de informação, Paulo Dentinho, “falou pessoalmente com o visado, a quem apresentou as desculpas pelo facto”, mas que a situação nada mais foi do que um“lamentável equívoco, decorrente de um erro não intencional”, lê-se.

Mas o marido de Quintanilha, o escritor Richard Zimler, desmente essa versão dos factos. “Até agora, ninguém da RTP pediu desculpa. Alguém telefonou esta manhã, mas o Alexandre estava numa reunião e pediu para telefonar às 15h00.Nada mais.Zero”, escreveu ao final da tarde na sua página de Facebook.

Alexandre Quintanilha espera ainda que as forças políticas tomem também posição. A única posição oficial foi a dos socialistas.“O secretário-geral do PS já transmitiu à direcção da RTP um protesto formal pelo comportamento inaceitável do pivô, exigindo um pedido de desculpas e uma tomada de posição pública sobre o assunto”, afirmou fonte do PSàs redacções.

o “lapso” no telejornal No trecho noticioso sobre a nova composição do hemiciclo desta legislatura, JRS referiu-se em directo a Alexandre Quintanilha assim: “O deputado mais velho tem 70 anos e foi eleito, ou eleita, pelo PS.” Esta foi a frase que desencadeou uma tempestade de críticas no feed de notícias do Facebook. Aos vários órgãos de comunicação, o jornalista afirmou que se tratava de uma série de erros de uma proposta de pivô que o levou a confundir os protagonistas da peça. “Há um erro. Como é que acontece? Quando apresento, estou convencido de que é uma mulher”, afirmou ao i, reiterando que os pivôs, por norma, não vêem as peças antes de irem para o ar. Como JRS pensava que a pensionista Domicília Costa, eleita pelo Bloco de Esquerda, e o outro deputado não eram as mesmas pessoas, usou o masculino “por ser indefinido”. Só que, quando a promoção da peça entra, surge uma mulher, e não um homem, daí o lapso. “Por isso decidi improvisar uma correcção, e ao corrigir, para não ofender ninguém, cometi um erro”, esclarece.

O jornalista confessa ainda estar “incrédulo” com a polémica, tendo tentado ligar a Quintanilha, mas sem sucesso, e avisa: “Quem nunca cometeu um erro que se apresente já, e isto não é um erro grave, estava mesmo convencido de que estava a falar de uma mulher”, remata.

JRS foi completamente arrasado nas redes sociais, tanto por anónimos como por figuras políticas conhecidas, especialmente socialistas.

A Ilga-Portugal, associação que defende os direitos da comunidade LGBT, divulgou um comunicado afirmando que a peça é “absolutamente inadmissível” por passar num canal com a “responsabilidade do serviço público emPortugal”. Ao i, o vice-presidente, Paulo Côrte-Real, disse que “é fundamental que a RTP1 marque bem uma posição não discriminatória”. Mais tarde, a deputada socialista reeleita Isabel Moreira considerou que a “RTP bateu no fundo”, não tendo ficado “convencida” com o esclarecimento tanto do jornalista como do canal. Para a socialista, muito ligada às questões LGBT no seu primeiro mandato, o “tom pausado, calmo e irónico” de JRS revela uma “homofobia disfarçada” que está hoje instaurada na sociedade.

No telejornal das 19h00 – antecipado devido ao jogo da selecção nacional –, JRS endereçou um pedido de desculpas tanto a Domicília Costa como a AlexandreQuintanilha. Apesar do esclarecimento, a ERC vai mesmo avançar com um processo contra o canal, como divulgou ontem em comunicado, porque existem “indícios de violação de direitos fundamentais dos cidadãos”, lê-se em comunicado.

Ler Mais


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×