22/8/19
 
 
DocLisboa. Mais de 200 filmes, do terrorismo a Daft Punk
"Daft Punk Unchained", de Hervé Martin-Delpierre, em estreia internacional

DocLisboa. Mais de 200 filmes, do terrorismo a Daft Punk

"Daft Punk Unchained", de Hervé Martin-Delpierre, em estreia internacional D.R. Jornal i 29/09/2015 18:06

O festival internacional de cinema regressa a Lisboa entre 22 de Outubro e 1 de Novembro e conta este ano com 236 filmes

A programação da 13.ª edição do DocLisboa foi hoje anunciada e ao todo serão 236 filmes de 40 países, 43 deles em estreia mundial. Portugal reúne 46 filmes, e dez vão estar em competição.

O festival arranca a 22 de Outubro com o filme “Bella e Perduta”, do realizador italiano Pietro Marcello, que também esteve em competição no festival de Locarno.

Haverá uma retrospectiva do realizador sérvio Zelimir Zilnik, de 73 anos, que filmou a desintegração da Jugoslávia - a sua maior e a mais completa retrospectiva até à data. O próprio estará no DocLisboa para duas masterclasses abertas ao público e para uma conversa com Karpo Godina, um dos construtores da Onda Negra Jugoslava, que trabalhou no seu filme “Rani Radovi”, de 1969.

O festival terá também uma retrospectiva dedicada ao terrorismo e ao cinema, “I don’t throw bombs, I make films”, com filmes desde a década de 60 até aos dias de hoje - como o de 2011 “United Red Army (The Young Man Was…, Part 1)”, de Naeem Mohaiemen (Bangladesh) - a acompanhar várias lutas armadas.

Entre os 46 filmes portugueses estão "A Glória de Fazer Cinema em Portugal", de Manuel Mozos, que integra a competição internacional, "Portugal - Um dia de Cada Vez", de Anabela Moreira e João Canijo, e "Vila do Conde Expraiada", de Miguel Clara Vasconcelos, estes últimos na competição nacional.

As atenções também se voltam para a Grécia, com uma dúzia de filmes feitos nos últimos 50 anos que mostram como os realizadores gregos representam o seu país desde a ditadura até à crise.

Tal como em anos anteriores, o festival continuará a ter uma secção dedicada à música, Heart Beat, onde podemos ver os nacionais "Celeste", de Diogo Varela Silva, "Porque Não Sou o Giacometti do Século XXI", de Tiago Pereira, e “Phil Mendrix”, de Paulo Abreu.

Na mesma secção, e em estreia internacional, vai estar "Daft Punk Unchained", de Hervé Martin-Delpierre, sobre a famosa dupla francesa, que aqui até aparece sem capacetes.

“El Botón de Nácar”, de Patricio Guzmán, foi o filme escolhido para encerrar o festival, a 31 de Outubro, e os vencedores da competição serão anunciados no dia seguinte.

À semelhança de outros anos, o festival vai acontecer na Cinemateca, no Cinema São Jorge e na Culturgest.

com Lusa

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×