23/9/18
 
 
Polícia eslovena dispersa centenas refugiados que queriam entrar país

Polícia eslovena dispersa centenas refugiados que queriam entrar país

TOLGA BOZOGLU Jornal i 19/09/2015 10:58

 A polícia eslovena dispersou hoje à noite, com recurso a disparos de gás lacrimogéneo, um grupo com várias centenas de refugiados que procurava forçar a entrada no país num posto fronteiriço com a Croácia.

O incidente ocorreu em Harmica, onde os refugiados, apoiados por militantes croatas e eslovenos, pretendiam entrar na Eslovénia.

Depois de uma hora de tensão, a polícia antimotim eslovena recorreu ao gás lacrimogéneo para dispersar os refugiados, entre os quais estavam crianças, que procuraram superar um cordão policial na ponte que marca a fronteira croato-eslovena.

Na sexta-feira, o primeiro-ministro esloveno, Miro Cerar, tinha declarado que a Eslovénia poderia criar corredores de trânsito para os refugiados, se estes continuassem a chegar em grande número, para lhes permitir chegar à Europa ocidental em boas condições.

“Se a pressão dos refugiados se tornar muito importante, a Eslovénia vai por certo discutir itinerários, ou o que designa por corredores, com todos os países que possam estar envolvidos”, declarou Cerar, citado em comunicado, depois de uma reunião do Conselho Nacional de Segurança.

As autoridades eslovenas registaram hoje mais de mil refugiados entrados no país, quando outros 700 continuam concentrados no posto fronteiriço de Obrezje, situado 20 quilómetros a leste da capital croata, Zagreb.

“Novos refugiados continuam a chegar continuamente e é muito difícil ter números exactos”, declarou uma porta-voz da polícia, Alenka Drenek, à AFP, referindo-se aos refugiados que continuavam a chegar a Obrezje na noite de hoje.

A Eslovénia suspendeu na quinta-feira o tráfico ferroviário com a Croácia depois de um grupo de 150 refugiados ter tentado entrar no país, quando se encontravam num comboio destinado a Zurique.

Um comboio com cerca de 1.500 refugiados, o segundo desde a manhã de quinta-feira, chegou hoje a Zagreb, na proximidade da fronteira eslovena, enquanto milhares de outros refugiados vindos da Sérvia eram transferidos por autocarro para a fronteira húngara a nordeste.

Lusa

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×