6/12/19
 
 
Cecil. Walter Palmer regressou ao trabalho (e não foi bem recebido)
Palmer no regresso à clínica

Cecil. Walter Palmer regressou ao trabalho (e não foi bem recebido)

Palmer no regresso à clínica Frame Vídeo Jornal i 09/09/2015 21:45

O dentista que matou o leão Cecil no Zimbabué regressou à clínica pela primeira vez desde que desertou para se refugiar da multidão, há quase dois meses.

Walter Palmer voltou à sua clínica, nos subúrbios de Minneapolis, na terça-feira e foi recebido sob os gritos de "assassino" e "sai da cidade" da parte dos manifestantes que se encontravam à sua chegada.

O dentista, de 55 anos, permaneceu sempre calado, mesmo quando lhe gritavam "extraditem Palmer". Mesmo que a possibilidade da sua extradição para o Zimbabué seja cada vez menos provável.

Além dos cartazes e gritos, também a porta da clínica estava pejada de mensagens, incluindo "Justiça para Cecil". A polícia bloqueou o tráfego automóvel e um segurança acompanhou sempre Palmer até dentro da clínica.

O dentista saltou para a fama mundial depois de se saber que tinha sido ele a matar, com um arco e flecha, o leão mais famoso de África, um símbolo do Parque Nacional de Huange, no Zimbabué.

O leão fazia parte de uma reserva de área selvagem e tinha um colar com o qual era seguido e estudado pela Universidade de Oxford.

Palmer ganhou o ódio público, principalmente através da Internet, e decidiu refugiar-se. Até esta terça-feira. 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×