21/9/20
 
 
Crise na zona euro leva seguradoras a trocar obrigações por ações
Os depósitos e a dívida privada bem como os produtos estruturados perderam peso

Crise na zona euro leva seguradoras a trocar obrigações por ações

Os depósitos e a dívida privada bem como os produtos estruturados perderam peso Margarida Bon de Sousa 07/09/2015 13:41

Peso das obrigações voltou a diminuir no primeiro semestre deste ano.

Os montantes investidos pelas seguradoras em obrigações no final do primeiro semestre deste ano continuaram a representar a maior fatia da carteira de investimentos do setor (68,7% do total), mas o peso voltou a diminuir pelo segundo trimestre consecutivo, consolidando a tendência já verificada desde finais de 2012.

Esta redução é explicada por fatores conjunturais e pelas baixas rendibilidades das obrigações devido à descida generalizada das taxas de juro.

Apesar de ter diminuído em relação ao trimestre anterior, o investimento em dívida pública representa quase metade desta fatia de obrigações e um terço da carteira total, continuando a dívida pública portuguesa a ter aqui um lugar de relevo, com um valor da ordem dos 10 mil milhões de euros.

Estas circunstâncias têm levado as seguradoras a procurar outro tipo de investimentos com rentabilidades superiores, como as ações, ainda que o seu peso total, não tenha ultrapassado os 7,3% no final do primeiro semestre deste ano, ou 10,8% se for tomado em conta os fundos de investimento.

Ainda em relação à decomposição da carteira por tipo de ativos, os depósitos e a dívida privada bem como os produtos estruturados perderam peso.

A carteira de investimentos do setor segurador está um pouco acima dos 53 mil milhões de euros, o que representa uma ligeira variação negativa de 0,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

À ligeira quebra não é alheia à instabilidade observada nos mercados financeiros durante o segundo trimestre deste ano, em particular na zona euro, resultado do impasse político em torno das negociações do terceiro programa de resgate à Grécia, que contribuiu para inverter a tendência de queda nas taxas médias de rentabilidade da dívida pública da zona.

Em contrapartida, o Investimentos das seguradoras europeias crescem para quase 10 mil milhões de euros em 2014. No ano passado as seguradoras europeias tinham 9,9 mil milhões de euros em ativos sob gestão, de acordo com dados divulgados pela Insurance Europe, Federação Europeia de Seguradores e Resseguradores.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×