22/9/18
 
 
Albânia vs Portugal. É meter a quinta sem parar
Eliseu acarinhado por Nani e todos os outros menos aquele desalentado islandês (5-3 noDragão), na última vez que a selecção soma cinco vitórias seguidas na qualificação

Albânia vs Portugal. É meter a quinta sem parar

Eliseu acarinhado por Nani e todos os outros menos aquele desalentado islandês (5-3 noDragão), na última vez que a selecção soma cinco vitórias seguidas na qualificação Miguel Riopa/Getty Images Rui Miguel Tovar 07/09/2015 10:48

Fernando Santos leva quatro vitórias seguidas na fase de qualificação do Europeu e está só a uma dos recordistas Humberto Coelho (2000) e Paulo Bento (2012).

Rui Patrício nas redes. À sua frente, João Pereira, Pepe, Ricardo Costa e Fábio Coentrão. No meio, William, Moutinho e André Gomes. Nas alas, Vieirinha e Nani (capitão na ausência de Ronaldo). O número 9 é Éder.

Há precisamente um ano, este onze de Portugal comete a proeza de assinar o pior arranque de qualificação para um Euro desde 1966. Resultado: 1-0 para a Albânia, em Aveiro. O embaraço é tal que há um lugar vago na cadeira de sonho.Sai Paulo Bento, entra Fernando Santos. Daí para a frente, só vitórias no grupo I de apuramento para o Euro-2016.E todas pela margem mínima: 1-0 em Copenhaga, 1-0 à Arménia, 2-1 à Sérvia e 3-2 naArménia. Vamos à quinta? Sim, claro. É hoje, em Elbasan. É a Albânia, de novo.

De há um ano para cá, o primeiro e o último mantêm-se. A Patrício e Éder unem-se Pepe e Nani. De resto, é todo um mundo novo. A começar no trio do meio-campo, incapaz de fazer cócegas à França no particular de sexta-feira em Alvalade (livre de Valbuena, 1-0). Com as lesões de William e Moutinho mais a suspensão de Tiago, o seleccionador tem obrigatoriamente de mudar tudo e a aposta recai em Adrien-João Mário-Danilo. Perguntam a Quaresma o que acha disso e o homem empertiga-se. “Não é novidade para ninguém o valor que têm, nem sei porque batem sempre na mesma tecla. Temos um grande meio-campo, com grandes jogadores.” É isso mesmo, avante com eles.

A Albânia está forte: anula a Dinamarca em Copenhaga (0-0 na sexta-feira) e continua invicta em Elbasan. Onde? É uma cidade nas montanhas, a hora e meia de Tirana. A equipa treinada pelo italiano Gianni De Biasi troca de sede há um ano e dá-se bem, com um empate (1-1 vs.Dinamarca) e duas vitórias (2-1 à Arménia e 1-0 à França).

Diz Fernando Santos: “Estive cá [na Albânia] há pouco tempo. A nossa vontade era termos ficado alojados em Elbasan, mas o único hotel que podia receber a nossa comitiva, primeiro, aceitou a reserva, depois negou-a porque vai lá ficar a selecção albanesa. É normal... A viagem daqui até lá é uma hora e meia e não é fácil, porque se passa pela montanha, há muitas curvas, não há auto--estrada. Já no dia do jogo vamos sair cedo daqui porque não quero que os jogadores cheguem agoniados, como já aconteceu a outras equipas que lá foram jogar.” Agoniados ou não, a palavra-chave é ganhar. Se tal acontecer, e caso a Dinamarca não pontue na Arménia, marca--se já um lugar entre os 24 doEuro-2016. Se tal acontecer, é a quinta vitória seguida na qualificação, algo só registado duas vezes.

Euro-2000, humberto coelho

Aquele 1-0 da Roménia nas Antas em cima do minuto 90, com penálti falhado por PaulinhoSantos ainda na primeira parte, paira como um fantasma. Será que isto, será que aquilo... as dúvidas amontoam--se. E agora?

O primeiro capítulo joga-se em Bratislava, capital da Eslováquia. Lá, os jogadores cantam o hino no balneário e depois os parabéns a você ao central Jorge Costa. No campo, João Pinto marca dois golos antes dos 30 minutos e desanuvia a preocupação. AbelXavier fixa o 3-0 aos 70’. “Já sabia do poder de Portugal, mas não esperava perder por números tão claros como 3-0. Não vou conseguir dormir esta noite”, garante o seleccionador eslovaco, Jozef Jankech.
No jogo seguinte, em Guimarães, novo bis de JVP no 7-0 do Azerbaijão. E então Conceição? Um hat-trick – de bolas à trave. De goleada em goleada, 5-0 em Vaduz com um só golo de bola corrida (o último de todos, de RuiCosta). De resto, penálti de RuiCosta, livre directo de Figo e bis de Paulo Madeira na sequência de cantos, um de Figo, outro de Rui Costa.

Entra-se em Junho de 1999 e há dupla jornada. Ao 1-0 do suplente Capucho à Eslováquia em Alvalade (há cartazes da Juve Leo a apoiar o regresso do “ nosso Sá Pinto”) segue-se o pobre-Liechten-stein-feito-num-oito. Oito é menos que dez, argumenta Ralf Loose. “A nossa ideia passava por sofrer menos de dez.” Se é assim, missão cumprida emCoimbra. Só o autogolo de Ritter e o penálti de Rui Costa fogem ao domínio dos Pintos: João marca três e assiste um, Sá assina dois e assiste outro.

Euro-2012, paulo bento

A dor de cabeça é gigantesca. Carlos Queiroz é suspenso pela federação no pós-Mundial-2010 e Agostinho Oliveira não é propriamente sinónimo de tranquilidade (4-4 comChipre, 1-0 em Oslo).Chama-se então Paulo Bento e num instante tudo muda.

Nani marca dois e assiste Ronaldo no 3-1 à Dinamarca, logo a abrir. Ronaldo acerta um livre directo na Islândia (3-1), Postiga resolve em voo rasante na Luz (1-0 à Noruega), Ronaldo bisa emChipre (4-0) e, por fim, assiste-se àquele vendaval de Eliseu no 5-3 à Islândia, no Dragão. Se o lateral-esquerdo do Málaga é o responsável por duas assistências (1-0 de Nani e 4-2 de Moutinho) e é ainda autor do 5-2, também é homem para abrir um buraco no seu lado, devidamente explorado pelos islandeses para dois golos.

Arménia-Dinamarca às 17h00 na SportTV1
Albânia-Portugal às 19h45 na SportTV1

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×