3/12/20
 
 
Ensino Superior. Há 48 cursos sem um único aluno colocado
600 cursos não deixam qualquer vaga disponível para a 2.ª fase

Ensino Superior. Há 48 cursos sem um único aluno colocado

600 cursos não deixam qualquer vaga disponível para a 2.ª fase Sara Matos Jornal i 06/09/2015 00:32

Quase 60% dos cursos com todas as vagas preenchidas.

Quase 60% dos 1.048 cursos disponíveis no ensino superior público tiveram todas as suas vagas preenchidas na 1.ª fase do concurso nacional de acesso, mas há 48 cursos sem qualquer aluno colocado.

De acordo com os dados divulgados hoje pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES), há 600 cursos que não deixam qualquer vaga disponível para as fases subsequentes no concurso de acesso ao ensino superior.

Segundo os mesmos dados, há 48 cursos sem qualquer procura por parte dos candidatos a caloiros, maioritariamente nos politécnicos, havendo apenas três cursos universitários nesta situação: Filosofia e Cultura Portuguesa (regime pós-laboral), na Universidade dos Açores, Engenharia Têxtil (regime pós-laboral), na Universidade do Minho, e Engenharia Civil, na Universidade do Algarve.

Entre a quase meia centena de cursos sem candidatos as engenharias dominam a lista, sobretudo a Engenharia Civil, mas também Engenharia do Ambiente, Engenharia Industrial ou Engenharia Eletrotécnica, entre outras.

Há ainda nesta lista cursos da área de contabilidade, gestão, tecnologias da informação e um curso em redes sociais, no politécnico de Santarém, que volta a não conquistar o interesse dos alunos na 1.ª fase, à semelhança do ano anterior.

Os resultados divulgados mostram ainda que há 160 cursos com menos de 10 vagas preenchidas.

Se estes cursos não conseguirem ultrapassar a barreira dos 10 alunos matriculados nas próximas fases de colocação correm o risco de ser encerrados, de acordo com as regras para a fixação de vagas em vigor.

Em 2014 houve 301 cursos que tiveram menos de 10 colocados, mas, ainda assim, eram menos de metade daqueles que se encontravam na mesma situação em 2013, quando 612 dos 1.097 cursos disponíveis não chegavam à dezena de alunos depois das colocações na 1.ª fase.

Dos mais de 48 mil candidatos a uma vaga nas universidades e politécnicos públicos cerca de 42 mil conseguiram um lugar, mas apenas metade conseguiu entrar no curso a que concorreu em 1.ª opção.

Das 50.555 vagas levadas a concurso na 1.ª fase sobraram 8.714, que ficam agora disponíveis para a 2.ª fase, com arranque marcado para 7 de setembro.

Lusa

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×