26/9/18
 
 
Cavaleiro, o novo príncipe do Monaco

Cavaleiro, o novo príncipe do Monaco

Rui Miguel Tovar 22/07/2015 23:44

Aposta de Leonardo Jardim marca pelo terceiro jogo seguido (5-1 ao Mainz)

Huuuuum, estranho. Há portugueses que nascem com jeito para a bola mas não encontram espaço no seu país e têm de ir pregar para outra freguesia. Daí a uns tempos e é vê-los com a camisola da selecção nacional. Acontece. È raro mas acontece. Vejam lá o caso de Boa Morte (internacional com Fulham e West Ham). E o de Pauleta (Salamanca, Deportivo, Bordéus e PSG). Com Ivan Ricardo Neves Abreu Cavaleiro, o assunto até nem é bem esse mas a chamada de Paulo Bento para o particular com Camarões (5-1) acontece numa altura em que o extremo só tem 14 jogos pelo Benfica. Certamente é o benfiquista feito internacional com menos tempo de jogo. É histórico sem fazer parte da história.

É um pau de dois gumes. Sem qualquer drama. Drama é isto. Ivan Cavaleiro é emprestado ao Deportivo, onde, por exemplo, Pauleta se faz homem, e não tem papas na língua. “Tenho de respeitar as opções de Jorge Jesus, mas sinto alguma mágoa pela forma como saí do Benfica. O presidente [Luís Filipe Vieira] tem apostado forte na formação, mas chega a um ponto que não serve de nada. Se a culpa é do treinador? Acho que sim...”

Então e é assim? Não, há mais. “Os jovens não têm oportunidades e são obrigados a procurar outros clubes para mostrarem e provarem as suas capacidades.” Insiste-se, a culpa é de Jesus. “Não falou comigo. Deveria ter sido tratado
de outra maneira.” Posto isto, tem Jesus alguma resposta na manga. “Esta época, o Benfica jogou com futebolistas da
formação ou da equipa B, como Ivan Cavaleiro e André Gomes. Este último era júnior do Boavista e o Benfica contratou-o. Fez dois anos de sénior comigo. Na temporada anterior, chamei-o para trabalhar comigo na equipa principal e na última fez muitos jogos. Foi um activo vendido por 15 milhões de euros. O centro de estágio [do Benfica, no Seixal] custa
por ano à volta de 5 milhões de euros. Dá para pagar a academia durante três anos.”

E Cavaleiro? “Tem valor, claro,” Em Espanha, salta entre o banco e a titularidade. Com um quarto de campeonato realizado, Ivan já tem quase o dobro dos minutos da época passada. No final da época, 34 jogos e três golos. É um outro tipo de formação. O professor Leonardo Jardim está atento. Como sempre. E vai buscá-lo. A troco de 15 milhões. Cavaleiro no Principado. É chique demais. Como Rui Barros. E Costinha. Mais Moutinho e Ricardo Carvalho. E, atenção, este Cavaleiro é uma máquina. Na pré-época, três golos em três jogos. O último hoje, vs. Mainz (5-1). E ainda um par de jogadas vistosas. Habemus jogador, sim senhor.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×