1/12/20
 
 
Grécia. Acordo mais próximo. Extensão do resgate chumbada
Para isso é necessário que haja acordo no Eurogrupo deste sábado, o que inclui medidas como aumentos no IVA ou redução das pensões.

Grécia. Acordo mais próximo. Extensão do resgate chumbada

Para isso é necessário que haja acordo no Eurogrupo deste sábado, o que inclui medidas como aumentos no IVA ou redução das pensões. OLIVIER HOSLET/EPA Filipe Paiva Cardoso 26/06/2015 15:32

O líder da Comissão Europeia e o presidente do Conselho Europeu deram conta de “alguns progressos” nas negociações.

Sem a pressão mediática de mais uma “reunião decisiva”, a Grécia e os credores registaram alguns progressos nas conversações sobre o novo pacote de austeridade exigido pelos segundos para libertar a tranche do empréstimo que a Grécia precisa. Atenas recusa porém extensão do resgate

Coube a Jean-Claude Juncker e a Donald Tusk confirmar os rumores que desde a manhã circulavam sobre a aproximação entre Atenas e as instituições credoras – FMI, BCE e CE.

Em conferência de imprensa, o líder da Comissão Europeia e o presidente do Conselho Europeu deram conta de “alguns progressos” nas negociações, admitindo que se chegue a um acordo ao longo do fim-de-semana.

Pior está a ideia de um prolongamento do resgate à Grécia. A troika enviou aos ministros das Finanças do euro uma proposta de extensão do resgate à Grécia em mais cinco meses, incluindo mais 15,5 mil milhões de euros, dos quais 8,7 mil milhões do fundo europeu de resgates, 3,3  mil milhões dos lucros do BCE e 3,5 mil milhões do FMI. Porém a ideia caiu mal em Atenas.

“O texto que foi entregue ao governo grego é pior que o memorando”, reagiram fontes do governo grego citadas pela agência noticiosa grega. Já antes Alexis Tsipras tinha voltado a acusar as instituições credoras de “chantagem sobre o povo grego”.

“Os princípios fundadores da União Europeia são a democracia, solidariedade e o respeito mútuo. Nunca foram as chantagens e os ultimatos. Ninguém tem o direito de por em causa esses princípios”, disse o primeiro-ministro grego.

Já em relação à aproximação entre credores e Atenas, fontes citadas pelo “Guardian” referem que os encontros matinais entre Tsipras, Merkel e Hollande trouxeram alguns frutos. As diferenças entre as partes serão agora mínimas, apontaram as mesmas fontes, referindo que as medidas ao nível das pensões já estarão fechadas, assim como muitos dos pontos referentes às alterações do IVA, permanecendo porém uma diferença de 107 milhões de euros entre as partes.

Já nos cortes ao ministério da Defesa, as partes continuam distantes: os 400 milhões exigidos pelos credores continuam a ser 200 milhões para o governo grego.

Ler Mais


Especiais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×