28/10/21
 
 
Consumo. Gasolina caiu mais de 10% e gasóleo quase 8% no primeiro trimestre

Consumo. Gasolina caiu mais de 10% e gasóleo quase 8% no primeiro trimestre

Sónia Peres Pinto 18/06/2015 11:00

Preços têm vindo a subir desde o início do ano. O aumento da carga fiscal contribuiu para este aumento

O consumo de gasolina caiu 10,7% no primeiro trimestre do ano face aos últimos três meses de 2014, e o de gasóleo recuou 7,8%, revelam os últimos dados da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas (Apetro).

Uma das razões deste recuo deve-se, em parte, à recuperação da cotação do petróleo nos mercados internacionais depois da acentuada descida dos preços que se verificou no final de 2014 – o petróleo que estava a 40 dólares está agora a 60 dólares e é ainda preciso contar com o factor sazonalidade, já que o consumo de gasolina aumenta nos EUA com o Verão, o que pressiona os preços nos mercados internacionais” – e acima de tudo à subida dos preços dos combustíveis que se tem verificado desde o início do ano por via dos impostos: a nova taxa do carbono, o aumento da contribuição do serviço rodoviário, mais a alteração aos biocombustíveis e, a partir de Fevereiro, não apenas para o gasóleo, mas também para a gasolina.

Feitas as contas, em média, o preço da gasolina está agora 22 cêntimos mais elevado do que em Janeiro, o que representa um agravamento de quase 17%. Ou seja, encher um depósito de gasolina (45 litros) vai custar mais 10 euros do que no início do ano. Também o gasóleo acompanhou estas subidas. Neste momento está 13 cêntimos mais caro do que no arranque do ano, um agravamento de 11,5% e para encher um depósito de gasóleo terá de pagar mais seis euros do que em Janeiro.  

A verdade é que parte deste valor a mais vai para os impostos. Dos 22 cêntimos a mais no preço da gasolina, cerca de seis cêntimos resulta do aumento da carga fiscal, já no caso do gasóleo, dos 13 cêntimos a mais, quase seis cêntimos resultam do aumento da carga fiscal.

Mas nem tudo são más notícias. Apesar da subida nos últimos meses, o preço dos combustíveis está ainda abaixo do valor praticado no mercado há um ano atrás. No caso da gasolina, o preço médio está 2% abaixo do homólogo e no gasóleo é ainda 3% inferior ao do ano passado. No entanto, os  valores podem variar nos postos de abastecimento, já que o preço fixado na rede tem ainda em conta o nível de concorrência, da oferta e da procura em cada mercado e o nível de custos fixos de cada posto.

Ler Mais


Especiais em Destaque

×

Pesquise no i

×