20/11/18
 
 
Este concelho criou ocupação de tempos livres para crianças e jovens com deficiência

Este concelho criou ocupação de tempos livres para crianças e jovens com deficiência

Jornal i 04/06/2015 19:32

O projecto tem o nome "OTL ESPECIAL@rte" e a população alvo são as crianças e jovens a partir dos 6 anos de idade.

A câmara de Valongo decidiu alargar o projecto de ocupação de tempos livres às crianças com deficiência do concelho e este verão vai testar a ideia com um "projecto-piloto", indicou a vereadora da Acção Social, Luísa Oliveira.

O projecto tem o nome "OTL ESPECIAL@rte" e a população alvo são as crianças e jovens a partir dos 6 anos de idade residente no concelho de Valongo, distrito do Porto.

"Ao nível do concelho, e mesmo da Área Metropolitana do Porto, ainda há pouca resposta para as famílias que nas férias escolares necessitam de encontrar espaços e actividades para os filhos que tenham necessidades especiais. Este é um projecto-piloto que visa colmatar essa falha", descreveu Luísa Oliveira.

A autarca falava à margem de uma reunião de câmara descentralizada que esta tarde decorreu em Alfena, exactamente a freguesia que vai acolher, na Escola do Xisto, equipamento actualmente desactivado, os interessados nesta iniciativa em Agosto.

Luísa Oliveira avançou que as actividades serão pensadas em função do público-alvo, ou seja das necessidades especiais das crianças, podendo ir das artes ao desporto com a escolha de modalidades "muito específicas".

A equipa que a câmara de Valongo está a constituir para o "OTL ESPECIAL@rte" é multidisciplinar, sendo que um possível alargamento deste "projecto-piloto" a outras paragens de períodos lectivos como o Natal ou a Páscoa dependerá, disse a vereadora, "da receptividade recolhida este verão".

Antes de avançar com esta ideia, a autarquia de Valongo realizou um levantamento que indicou que 132 crianças/ jovens com deficiência frequentam os estabelecimentos de ensino público de Valongo.

O estudo da autarquia revelou que pelo menos uma centena destas crianças necessita de resposta de ocupação de tempos livres nas interrupções lectivas.

"Salienta-se ainda, de acordo com informação de professores e técnicos de intervenção social do concelho, a existência de um grupo de jovens adultos com deficiência sem qualquer resposta institucional que não estão sinalizados", lê-se na proposta sobre este projecto.

O texto vinca, ainda, que "a criação desta resposta contribuirá fortemente para a conciliação da vida profissional com a vida familiar, mais agravada nos períodos de interrupção lectiva".

Lusa

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×