20/8/18
 
 
Raúl Castro. “Se o Papa continuar assim voltarei à Igreja e a rezar”

Raúl Castro. “Se o Papa continuar assim voltarei à Igreja e a rezar”

FABIO FRUSTACI/EPA Jornal i 10/05/2015 15:48

Líder cubano voltou a agradecer pessoalmente a Francisco o apoio à aproximação entre Cuba e EUA.

Raúl Castro manteve neste domingo uma reunião privada com o Papa Francisco, durante 55 minutos (um tempo anormalmente longo para este tipo de encontros), na Cidade do Vaticano, e agradeceu a sua contribuição à aproximação entre Cuba e os EUA.

Castro chegou ao local às 9h30 locais (8h30 de Lisboa), seguindo-se a audiência privada com o Papa,.
Foi uma visita “estritamente privada” selada com um longo aperto-de-mãos que serviu também para preparar a viagem do Sumo Pontífice até à ilha caribenha em Setembro, antes do périplo pelos EUA que o levará a Washington, Nova Iorque e Filadélfia.
A reunião com Castro foi um pouco mais demorada do que a que Francisco manteve em Março do ano passado com o presidente norte-americano, Barack Obama, que na altura realizou-se com intérprete, enquanto a de este domingo foi uma conversa privada em castelhano, entre um cubano e um argentino.

“Agradeci ao Santo Padre pela contribuição na aproximação entre Cuba e os EUA”, disse Castro, no final da audiência.
Aqui, Castro também confessou que lê “todos os discursos” do Papa e que se este “continuar assim” regressará à Igreja e voltará a rezar.

O chefe de Estado falou ainda com o papa sobre o drama da migração no Mediterrâneo.

O Presidente cubano ofereceu a Francisco um quadro de grandes dimensões do artista cubano Alexis Leyva Machado, Kcho, que representa uma grande cruz feita com vários barcos e uma criança que reza diante dela.

O artista, presente no ato após a reunião privada, explicou ao papa que quis aludir à tragédia que sofrem milhares de pessoas que tentam chegar à Europa a partir do Norte de África.

“Que inspiração!”, respondeu Jorge Bergoglio, ao receber a oferta, um procedimento habitual nas visitas ao pontífice e que nesta ocasião foi muito breve, cerca de cinco minutos.

Castro também ofereceu ao papa uma medalha que comemora o 200.º aniversário da Catedral de Havana, da qual só existem 25 exemplares.

O papa, por seu lado, ofereceu a Castro um medalhão de San Martín de Tours, patrono de Buenos Aires, e a sua exortação apostólica Evangelii Gaudium.
 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×