24/06/2022
 
 
Indie Lisboa. Dez filmes que não lhe podem passar ao lado

Indie Lisboa. Dez filmes que não lhe podem passar ao lado

DR Clara Silva 23/04/2015 12:34

Começa hoje a 12.ª edição do IndieLisboa

Com uma organização “mais simples”, dizem os responsáveis, para evitar a difícil tarefa de escolher entre filmes sobrepostos. Duas comédias, “Capitão Falcão” e “While We’re Young” abrem o festival. Também lhe tornamos a vida mais fácil e sugerimos dez filmes que não pode perder, da pop opera de Stuart Murdoch, dos Belle & Sebastian, a “Force Majeure”, a longa-metragem aclamada em Cannes o ano passado

While We’re Young, de Noah Baumbach

Ben Stiller e Naomi Watts são um casal de meia-idade que começa a mudar a sua rotina e a sua perspectiva de vida depois de conhecerem outro casal mais novo e liberal (interpretado por Amanda Seyfried e Adam Drive, este último conhecido depois da série “Girls”). A nova comédia de Noam Baumbach (o realizador do elogiado filme indie “Frances Ha”) tem a sua ante-estreia em Portugal no festival, com banda-sonora a cargo de James Murphy. 

Hoje, às 21h30, na Culturgest

God Help The Girl, de Stuart Murdoch

Em 2014, conquistou o Prémio do Júri do Festival de Sundance. Na secção IndieMusic é um dos filmes mais esperados ou não fosse da autoria de Stuart Murdoch, dos Belle & Sebastian (que em Junho estará no Primavera Sound do Porto). Uma pop opera que começou como um projecto musical sobre uma rapariga que vê na pop um escape para as suas angústias e a melhor maneira de expressar o que sente.

Sábado, às 21h45, no Cinema São Jorge

Life After Death From Above 1979, de Eva Michon

O nome dos Death From Above nasceu da inscrição dos helicópteros de “Apocalipse Now”. Em 2004 a banda começava a conquistar os palcos com um baixo, uma bateria, e um disco, “You’re a Woman, I’m a Machine”. Dois anos depois, separaram-se e Jesse Keeler e Sebastien Grainger seguiram projectos paralelos (como os MSTRKRFT). O documentário conta a história da ruptura e do regresso, em 2011, no Coachella.

Quarta, às 21h45, no Cinema São Jorge

Lee Scratch Perry’s Vision of Paradise, de Volker Schaner

Durante 13 anos, o realizador Volker Schaner acompanhou Lee Scratch Perry para um documentário em que precisou de angariar fundos online. Uma “aventura profética”, assim descreve, com o músico de culto do universo reggae e dub. O filme estreou a 18 de Abril em Chicago e é uma das apostas mais interessantes do IndieMusic. O realizador diz que mais que uma biografia é um “conto de fadas” sobre Scratch Perry. 

Domingo, às 16h00, no Cinema São Jorge

Aqui, em Lisboa, de vários realizadores

Nas comemorações do décimo aniversário, o IndieLisboa convidou vários realizadores a filmarem a sua perspectiva da cidade de Lisboa. O resultado das filmagens dos cineastas escolhidos, Denis Côté, Dominga Sotomayor, Gabriel Abrantes e Marie Losier, é agora apresentado em “Aqui em Lisboa”. À estreia do filme segue-se uma festa no Primeiro Andar com um concerto dos RED trio, a banda que aparece no filme de Denis Côté.

Amanhã, às 21h30, no Cinema São Jorge

The Last Days of Disco, de Whit Stillman

Whit Stillman continua a ser citado como fonte de inspiração para nomes da cultura indie como Lena Dunham, Noah Baumbach ou Wes Anderson. Um dos realizadores homenageados este ano no IndieLisboa na secção Herói Independente, vem a Lisboa falar dos seus filmes, como “The Last Days of Disco”, onde junta Chlöe Sevignye Kate Beckinsale, para uma longa-metragem sobre uma das suas paixões, a música para dançar.

Quinta, 30, às 21h30, no Cinema São Jorge

Eden, de Mia Hansen-Løve

Demasiado infeliz na vida, Mia Hansen-Løve decidiu dedicar-se ao cinema, confessa a própria. A realizadora francesa é outra das homenageadas na secção Herói Independente e convidada de honra. Entre outras obras, estará em Lisboa para apresentar “Eden”, a sua longa-metragem do ano passado que acompanha a ascensão e queda de Paul, um DJ na era dourada do french touch dos anos 90, de onde sairam também os Daft Punk.

Sábado, às 21h15, na Culturgest

Hotel Straussberg, de Jan Soldat

Observatório, Cinema Emergente e Pulsar do Mundo, antigas secções do Indie, reúnem-se agora em Silvestre, secção que homenageia Jan Soldat, especialista em documentar o mundo BDSM. “Hotel Straussberg”, uma das suas curtas, leva-nos para o universo bondage das celas de uma prisão, enquanto “Geliebt” explora a zoofilia. Já “Law and Order” reflecte sobre as regras e o processo do prazer sado-maso.

Segunda, 21h30, Cinema São Jorge

Force Majeure, de Ruben Östlund

“Force Majeure”, de Ruben Östlund, conquistou o ano passado o júri de Cannes na secção “Un Certain Regard”. O muito aclamado filme chega agora a Portugal e encerra esta edição do festival. O filme chegou a estar nomeado para o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro e conta a história das férias de uma família numa estância de férias nos Alpes na iminência de uma avalanche.

Domingo, 3 de Maio, às 21h30, na Culturgest

Ela Volta na Quinta, de André Novais Oliveira

Em competição internacional no IndieLisboa, “Ela Volta na Quinta”, do brasileiro André Novais Oliveira, já venceu o Grande Prémio na Semana dos Realizadores do Rio de Janeiro. A primeira longa-metragem do brasileiro mostra o seu olhar sobre a sua própria família, uma família diferente da sua infância e da que deixou quando foi viver para a sua casa. São os próprios pais e o seu irmão que interpretam as personagens do filme.

Terça-feira, 21h45, no Cinema São Jorge

Ler Mais

Os comentários estão desactivados.


×

Pesquise no i

×
 


Ver capa em alta resolução

iOnline