15/11/18
 
 
Morreu Herberto Helder, o poeta da palavra
Uma das raras fotografias do poeta em vida

Morreu Herberto Helder, o poeta da palavra

Uma das raras fotografias do poeta em vida dr Ana Tomás 24/03/2015 15:17

O escritor e poeta português, Herberto Helder, morreu esta segunda-feira, na sua casa em Cascais.

Natural do Funchal, na Madeira, e de ascendência judaica, entrou na Faculdade de Direito de Coimbra, mas, em 1949, mudou para Letras onde, durante três anos, estudou Filologia Romântica.

Herberto Helder esteve ligado, no início, ao surrealismo e durante a década de 1950 frequentou o grupo Café do Gelo, de que faziam parte nomes como Mário Cesariny, Luiz Pacheco, António José Forte, João Vieira e Helder Macedo.

Além de grande poeta era conhecido também por ser uma figura misteriosa.

Considerado um dos maiores poetas portugueses, lançou o primeiro livro, “O Amor em Visita”, em 1958. No ano de 1963 foi publicada a sua primeira obra de ficção, o livro de contos “Os Passos em Volta”. Muitos dos seus livros, com apenas uma edição, tornaram-se obras raras.

Além de grande poeta era conhecido também por ser uma figura misteriosa. Não gostava de dar entrevistas, nem de se deixar fotografar. Recusava prémios, como o aconteceu com o Prémio Pessoa, que lhe foi atribuído em 1994, mas que não aceitou receber.

Em comunicado, a Porto Editora lembrou Herberto Helder como “nome cimeiro da literatura portuguesa contemporânea, poeta maior que ficará entre a meia dúzia de nomes incontornáveis da poesia portuguesa do século XX”.  Adianta ainda que o funeral, reservado à família, realiza-se amanhã, quarta-feira.

“A Morte Sem Mestre” foi o seu último livro a ser publicado, em 2014.

 


 

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×