2/6/20
 
 
Anos depois, a Portugália volta a cruzar-se com alemães

Anos depois, a Portugália volta a cruzar-se com alemães

Dreamstime Jornal i 08/05/2019 20:00

Durante a I Guerra Mundial, cervejaria mudou de nome. Deixou de se chamar Germania, passando a Portugália.

 

Decorria o ano de 1912 quando nasceu a Portugália da Almirante Reis, a cervejaria que qualquer lisboeta conhece. O espaço surgiu da junção da Fábrica Cerveja Leão com a Companhia Portuguesa da Cerveja e teve o nome inicial de Fábrica da Cerveja Germania. O objetivo era produzir em grandes quantidades cervejas de qualidade internacional - tendo por isso sido construída uma fábrica com os melhores equipamentos da época. A Germania mudou de nome anos depois, mas quis o destino que, em 2019, os alemães voltassem a cruzar-se com aquele quarteirão.

Durante a I Guerra Mundial (1914-1918), e como Portugal estava do lado dos Aliados, a direção da fábrica decidiu mudar o nome da Fábrica da Cerveja Germania para Portugália, Lda. Desta forma, a fábrica demarcou-se da ligação com as potências centrais que combatiam os Aliados.

Anexada à fábrica, e com a necessidade de satisfazer os clientes que se deslocavam à mesma para encher os seus pipos com cerveja, nasceu a 10 de junho de 1925 a Cervejaria Portugália. Rapidamente a cervejaria se tornou um sucesso junto dos seus clientes, o que deu origem a uma nova forma de consumir cerveja no nosso país e que, consequentemente, trouxe também a venda de petiscos. Os famosos bifes da Portugália, esses, só foram inseridos no menu da cervejaria anos mais tarde.

Até à década de 70, a Cervejaria Portugália passou a ser um dos pontos de encontro de pessoas influentes à época, muito devido ao ambiente boémio e de convívio que lhes era proporcionado. Foi inclusive escolhida para a rodagem de uma cena do filme A Canção de Lisboa, no ano de 1933. Durante os anos 50, a fábrica e a cervejaria passaram por uma remodelação, com a abertura de um terraço onde até se poderia assistir a sessões de cinema, e com o alargamento da sala de refeições, a Portugália ganhou ainda mais força entre os portugueses. 

Com o 25 de Abril, e a par de todas as empresas, a Portugália passou por um período mais atribulado. Foi também após a Revolução dos Cravos e com a nacionalização do setor cervejeiro que a Cervejaria Portugália perdeu a ligação com a Fábrica Portugália, Lda. Este período menos “glorioso” da história da cervejaria terminou, no entanto, no ano de 1977: as famílias Carvalho Martins e Carvalho Vinhas voltam a assumir as rédeas da Cervejaria Portugália com uma nova gestão e dá-se o ponto de viragem na empresa. 

Em 1997, a Portugália decidiu dar início à expansão da sua rede de restaurantes. O primeiro balcão da Portugália para refeições rápidas foi construído no Centro Comercial Colombo. Este novo espaço serviu de teste para que os responsáveis da empresa pudessem perceber se a aposta valia a pena. Corria o ano de 2005 quando a Portugália decide empenhar-se a sério na expansão da rede em centros comerciais. A internacionalização foi o passo seguinte, em 2015, quando a Portugália inaugurou o primeiro espaço no mercado asiático, em Macau. 

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×