23/9/18
 
 
José Cabrita Saraiva 11/09/2018
José Cabrita Saraiva
Opiniao

jose.c.saraiva@newsplex.pt

Que estranhos ídolos são estes?

A ideia de sucesso que nos tentam vender é uma rematada mentira. Aquilo que muitos julgam serem vidas de sonho são afinal marcadas pelo vazio e pela ausência de objetivos

Ao contrário da esmagadora maioria dos rappers, este não era negro nem nasceu numa família que passasse por dificuldades (o pai era arquiteto e a mãe fotógrafa). Em rapaz aprendeu a tocar piano, guitarra e bateria. Depois, com essa bagagem, decidiu dedicar-se ao rap, juntando-se a círculos de jovens marginais. Pouco depois começou a consumir drogas, um problema que nunca escondeu dos fãs. Chamava-se Mac Miller e tinha apenas 26 anos quando morreu na passada sexta-feira em sua casa.

O seu nome é apenas o mais recente na longa lista de jovens talentosos, populares e promissores que desapareceram demasiado jovens nestes últimos tempos. Há um mês tinha sido o Zombie Boy, um modelo de 32 anos que nutria um fascínio pelo mórbido e ostentava 90% da superfície da pele tatuada com ossos, caveiras, insetos e outros símbolos macabros. E em abril recebemos a notícia do suicídio do DJ sueco Avicii, um dos grandes ídolos da música eletrónica. Todos eles tinham dinheiro, talento, reconhecimento mundial e porventura uma inteligência acima da média. Eram populares, idolatrados por legiões de fãs... e profundamente infelizes.

Por uma razão ou por outra, sentiram que estavam no fim da linha. Houve quem dissesse, depois da notícia das suas mortes, que era preciso estar atento aos indícios de depressão para evitar este desfecho. Claro que sim.

Mas há uma evidência que qualquer um pode ver: este mundo cintilante do espetáculo está cheio de armadilhas. A ideia de sucesso que nos tentam vender é uma rematada mentira. Aquilo que muitos julgam serem vidas de sonho são afinal marcadas pelo vazio e pela ausência de objetivos.

Avicii e Mac Miller tinham singrado e os seus milhões de seguidores muito provavelmente invejavam-lhes a sorte, ignorando que o grande drama dos seus ídolos foi justamente terem cumprido os seus sonhos demasiado cedo. E, chegando a esse sítio onde tantos aspiram chegar, olharam à volta e perceberam que afinal não há lá nada.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×