20/9/18
 
 
Ainda se lembra dos chafarizes? Das Águas Boas a São Domingos

Ainda se lembra dos chafarizes? Das Águas Boas a São Domingos

Beatriz Dias Coelho 03/09/2018 14:36

Lisboa é uma cidade recheada de História e histórias para descobrir, contadas não só pelos monumentos, mas também por cada rua, cada placa toponímica, cada estátua e, claro, os tão esquecidos chafarizes. O i quis recordá-los e reúne-os bairro a bairro: para hoje, Benfica e Carnide

Chafariz das Águas Boas ou da Convalescença

Recebeu ordem de construção ainda no século XVIII, em 1791, mas foi só em 1817 que ficou terminado. Com dimensões generosas, é ladeado por um muro e tem um tanque retangular para o qual vertem duas bicas. Na fachada, não faltam elementos para apreciar: drapeados e um laço decoram as bicas e, por cima, uma placa informa que o exemplar faz parte da rede das Águas Livres. Ao centro, destacado, o brasão com as armas, rematado por uma urna. É também conhecido como Chafariz da Convalescença, por se situar em frente ao Convento de Santo António da Convalescença, na Estrada de Benfica.

 

Chafariz da Luz ou da Fonte

Situado na freguesia de Carnide, o Chafariz da Luz - ou da Fonte, por se localizar na Rua da Fonte - está adossado à Igreja de Nossa Senhora da Luz, mandada construir por Dona Maria no século XVI. Está integrado num arco, num plano inferior em relação à rua e apresenta um tanque de pequenas dimensões. Caracteriza-se pela escassez de motivos a ornamentá-lo.

 

Chafariz das Garridas ou de Benfica

Com uma estrutura em parte semelhante ao Chafariz das Águas Boas, o Chafariz das Garridas ou de Benfica difere daquele por ser pouco decorado - com um espaldar quase despido - e por estar situado no centro de uma praceta. Tem, igualmente, duas bicas e um tanque retangular, bem como o brasão de armas. A ladeá-lo, duas pilastras com pináculos no cimo. Remonta a 1778 e resulta do traço dos arquitetos Reinaldo Manuel dos Santos e Francisco António Ferreira Cangalhas.

 

Chafariz de São Domingos de Benfica

Adossado a um muro, este exemplar data de 1784 e é um modelo único na cidade, não se assemelhando a nenhum outro e caracterizando-se por particular simplicidade. Tem uma estrutura tripartida; ao centro, duas bicas em forma de golfinhos vertem para um pequeno tanque retangular. No topo, um obelisco e duas urnas rematam a obra cuja construção partiu da ideia do burguês Gérard Devisme.

Ler Mais

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×