18/9/18
 
 
Clima. Ação contra instituições da UE aceite pelo Tribunal Europeu

Clima. Ação contra instituições da UE aceite pelo Tribunal Europeu

Dreamstime Tatiana Costa 13/08/2018 21:45

Famílias consideram que instituições europeias não estão a fazer os possíveis para combater as alterações

Um processo interposto por dez famílias de sete países diferentes (entre os quais Portugal) que defende que algumas instituições europeias não estão a fazer o que podem para combater as alterações climáticas foi aceite ontem pelo Tribunal Europeu. A ação, que foi interposta em maio pelas famílias e por uma associação sueca (Associação Juvenil Sáminuorra), diz que a União Europeia não está a fazer todos os possíveis contra as alterações climáticas de forma a proteger os direitos dos cidadãos que são afetados pelas mesmas.

O grupo composto por pessoas de Portugal, Alemanha, França, Itália, Roménia, Gronelândia, Fiji, Quénia e Suécia pretende reduzir as emissões de gases com efeito de estufa num horizonte temporal até 2030. 

A Associação Sistema Terrestre e Sustentável, Zero - responsável que acompanhou o processo em Portugal - disse, em comunicado, que o facto de o tribunal ter aceitado “formalmente o caso” se traduz num “primeiro passo importante no processo ‘Pessoas pelo Clima’”. A associação elogiou a decisão do tribunal que chegou “num momento em que os efeitos das alterações climáticas assolam a Europa”, acrescentando que está satisfeita com a decisão. 

Quanto à medida atual, que pretende reduzir pelo menos 40% das emissões dos gases com efeito de estufa até 2030, a associação diz ser “inadequada em relação à necessidade real de prevenir os efeitos das alterações climáticas”.

A associação disse ainda que esta decisão “é um pequeno passo, mas significativo, para mostrar que o atual objetivo climático para 2030 da UE não é suficientemente ambicioso para proteger as pessoas e os seus direitos enquanto cidadãos”.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×