24/9/18
 
 
Ciência. Comer grilo faz bem à saúde

Ciência. Comer grilo faz bem à saúde

Dreamstime Jornal i 08/08/2018 20:03

Um estudo aponta que ingerir grilo traz benefício para o sistema intestinal e inflamatório

Tem fibra, proteínas, vitaminas e minerais e ajuda da diminuir inflamações e problemas intestinais. A ideia de comer grilo pode não ser apelativo mas segundo um estudo publicado no jornal Scientific Reports, integrar este animal na sua alimentação pode ser benéfico para obesidade, problemas intestinais ou doenças de baixa imunidade.

O estudo foi realizado pela Universidade norte-americana de Wisconsin-Madison consistia em proporcionara um grupo de 20 participantes, entre os 18 e os 48, durante 15 dias, duas versões do pequeno-almoço, em que uma delas continha 25 gramas de farinha de grilo. Na segunda fase, os participantes voltaram à alimentação normal, tendo sido, numa terceira fase, sido invertido o grupo.

Os benefícios surgiram ao nível intestinal com o crescimento de bactérias “boas” que ajudam a controlar disfunções como diarreias e prisão de ventre. Mas as descobertas não foram só ao nível gástrico, registou-se também uma diminuição dos níveis de TNF-alfa, a proteína que está associada às inflamações e que é muito comum em pessoas com depressão ou cancro.

“Descobrimos que o consumo de grilo pode realmente oferecer benefícios além da nutrição”, afirmou Tiffany Weir, co-autora da pesquisa ao jornal de medicina Medical News Today. Já Valerie Stull, autora do estudo, mostrou-se confiante, numa entrevista ao Daily Mail, com o sucesso desta nova dieta: “[A dieta] está a ganhar força na Europa e nos Estados Unidos como uma fonte de proteína sustentável e ecológica em comparação com a pecuária tradicional”.

Os participantes foram submetidos a análises tanto ao sangue como às fezes e responderam a questionários sobre a sua saúde gastrointestinal antes da inserção da nova dieta, a meio do estudo e no final. Os investigadores não encontraram nenhuma alteração gastrointestinal significativa nem alteração ao nível das baterias intestinais.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×