21/9/18
 
 
Democracia21. Fundadora do movimento gostaria de ter Santana Lopes no novo partido

Democracia21. Fundadora do movimento gostaria de ter Santana Lopes no novo partido

João Girão Cristina Rita 24/07/2018 08:42

Santana ainda não tem o seu partido, mas está a ser requisitado por outros que também ainda não existem

A fundadora do movimento de direita e liberal Democracia21, Sofia Afonso Ferreira, gostaria de ver Santana Lopes, antigo líder e primeiro-ministro do PSD, nas fileiras do partido que se está a formar. “Seria um grande ganho que se juntasse à Democracia21”, confessa ao i Sofia Afonso Ferreira. Há três semanas , Santana Lopes e Sofia Afonso Ferreira reuniram-se, no rescaldo da entrevista do também ex-provedor da Santa Casa à Visão, onde anunciou que queria formar um novo partido e  decretava o fim da relaçção político-partidária com os sociais-democratas.

Pedro Santana Lopes não falou com os seus mais próximos do PSD para avançar com um novo partido, segundo apurou o i, mas manteve contactos com vários movimentos nas últimas semanas. Por agora “nada há a acrescentar”, disse ao i o antigo primeiro-ministro.  

Sofia Afonso Ferreira garante que “não existe qualquer acordo firmado com Santana Lopes”, mas estará aprazado novo encontro, ainda sem data. “A verdade é que estamos no mesmo espetro político” argumentou Sofia Afonso Ferreira, que tem neste momento outra batalha pela frente: a recolha de assinaturas para criar o 23º partido político português. O objetivo é chegar a setembro e garantir o número mínimo de assinaturas previstas por lei- 7500. O movimento conseguiu reunir cerca de cinco mil e tem-se desdobrado  em iniciativas de norte a sul do país para assegurar o processo burocrático. O partido quer entrar em 2019 já com propostas a pensar num programa eleitoral, nas europeias ou legislativas. Sofia Afonso Ferreira tem falado com personalidades ligadas ao PSD e ao CDS para angariar mais apoios e futuro militantes. Quem são? Para já não revela.

O movimento Democracia 21 poderia manter-se como tal, “mas a burocracia é de tal ordem que andaria a recolher assinaturas” sempre que pudesse concorrer a um ato eleitoral, confessou Sofia Afonso Ferreira.

No espetro político do movimento  Democracia 21 também está a Iniciativa Liberal (IL), liderada por Miguel Ferreira da Silva. A IL é o 22º partido registado no Tribunal Constitucional mas, ao contrário da Democracia 21, não quer Santana Lopes nas suas fileiras. “Obrigado, mas não obrigado”, declarou o líder do partido, citado pelo Expresso. 

As ideias eurocépticas de Santana Lopes ou o pedido de maior intervenção do Estado no Serviço Nacional de Saúde não convenceram a Iniciativa Liberal.

O antigo líder do PSD surpreendeu alguns dos seus pares quando anunciou a sua intenção de formar um novo partido. A intenção não é nova, mas só agora parece materializar-se. E pode baralhar as contas ao centro direita. Essa preocupação terá sido manifestada pelo próprio Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Na passada quinta-feira recebeu Santana Lopes em Belém, num encontro privado, mas em Belém impera o silêncio. Segundo o Expresso, Marcelo terá tendo evitar que o antigo primeiro-ministro abandone o PSD, uma vez que ainda tem peso político entre os sociais-democratas, mesmo tendo perdido as últimas eleições diretas. Poderia, aliás, ser uma das hipóteses do partido para as Europeias de maio de 2019, um processo que Rui Rio ainda não começou a preparar.

Mas Santana Lopes está apostado em vingar novamente fora do PSD. E ter-se-á encontrado com Carlos Moedas, comissário europeu na semana passada, segundo o Expresso.

 As incógnitas sobre o futuro de Santana Lopes na política  são várias, mas para Pacheco Pereira, antigo dirigente do PSD,   o objetivo do ex-líder do partido será mais calculista do que ideológico. “Ele quer um lugar. Se for no Parlamento Europeu, excelente, se for no Parlamento português, menos excelente”, declarou Pacheco Pereira no programa Quadratura do Círculo da SIC-Notícias na passada semana. O comentador fez ainda uma análise sobre a falta de apoios dentro do PSD. “Enquanto as pessoas, que estão no PSD e na bancada do PSD tiverem esperança de derrubar Rui Rio- eles tem essa esperança- ninguém vai trocar um grande partido”, vaticinou Pacheco Pereira, verbalizando uma ideia que está a ser avaliada em surdina no PSD de  derrubar Rio antes das Legislativas. Tudo depende da tendência das sondagens, segundo apurou o i.

Entre os sociais-democrata que apoiaram Santana Lopes nas eleições diretas de 2017 contra Rui Rio, o antigo secretário de Estado da Cultura, Barreto Xavier escreveu uma carta aberta no Público a confessar-se defraudado pela atitude de Santana Lopes. “Hoje, sinto-me defraudado. Nunca teria votado em ti se soubesse que agora tomarias esta atitude”, escreveu.

Iniciar Sessão
Esqueceu-se da sua password?

×
×

Subscreva a Newsletter do i

×

Pesquise no i

×